Catarina garante luta contra a exploração de lítio à população que Costa recusou ouvir

A coordenadora nacional do Bloco de Esquerda esteve hoje na Serra da Argemela, em Castelo Branco, ao lado das populações que lutam contra a exploração de lítio. “O nosso compromisso é para parar este processo” afirmou Catarina Martins.
Fotografia: Andreia Quartau

Catarina Martins esteve esta quinta-feira na Serra da Argemela, no concelho do Fundão, em Castelo Branco. Em breve, e se nada for feito, “haverá uma mina a céu aberto” nesta serra, “literalmente no quintal desta gente que aqui vive, que depende da água do Rio Zêzere, que tem aqui agricultura, que depende destas terras e que quer aqui viver, com saúde e  qualidade ambiental”, afirmou.

A coordenadora bloquista considera “inaceitável” que se tomem decisões com “um impacto tão importante para quem cá vive” sem ouvir a população. “O Primeiro-Ministro esteve na Covilhã; quem aqui está agora, esteve lá para falar com ele. Não conseguiram”, mencionou Catarina Martins, recordando que ninguém falou com as populações nem com a Junta de Freguesia. “Não veio nenhuma pessoa do Governo ouvir quem cá vive”, mas deram o direito a uma empresa de “esburacar a sua serra”.

De facto, o Governo aprovou catorze explorações mineiras “à 25ª hora, quando já sabia que o Parlamento ia ser dissolvido e que íamos ter eleições”, lembrou Catarina Martins, acrescentando que tal foi feito “sem ter nenhum plano, nenhuma estratégia” e sem que a população tenha sido ouvida.

Para a coordenadora do Bloco é “fundamental” garantir que “não avança nada até 30 de janeiro”, altura em que haverá uma nova Assembleia da República.

“Não podemos esburacar o interior para que umas poucas empresas se encham com dinheiro do Plano de Recuperação e Resiliência ou vejam se podem enriquecer rapidamente a explorar um minério condenando o interior ao despovoamento”, prosseguiu a coordenadora bloquista, concluindo que “o nosso compromisso é para parar este processo”.

Cristina Guedes é candidata em Castelo Branco

Nesta visita, Catarina Martins esteve acompanhada por Cristina Guedes, cabeça de lista do Bloco de Esquerda por Castelo Branco às próximas eleições legislativas de 30 de janeiro.

Com 54 anos, Cristina Guedes mora no Fundão e é professora de Física e de Química no Agrupamento de Escolas do Fundão. É membro da Assembleia Municipal do Fundão, integra a Coordenadora Distrital de Castelo Branco do Bloco de Esquerda bem como a Mesa Nacional. É feminista, ativista e pertence ao Grupo Preservação da Serra de Argemela.

A lista do Bloco de Esquerda em Castelo Branco é também constituída por Sónia Reis (46 anos, Assistente técnica no Agrupamento de Escolas do Fundão), Pedro Beato (45, Técnico de manutenção industrial) e Nuno Costa (45 anos, vigilante privado).

Notícia publicada em Esquerda.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Related Posts
Skip to content