Foto de Bernardo G. | Flickr

Profissionais de saúde mental, de medicina geral, enfermeiros e assistentes sociais criam um grupo de Facebook onde dão apoio psicológico e emocional gratuitamente.

Durante a pandemia vão surgir um conjunto de reações emocionais que necessitam ser entendidas e compreendidas de forma a que não se desenvolvam patologias do foro psicológico e que permitam aos cidadãos lidar da melhor forma com os tempos difíceis que vivemos. 

Segundo Rui Lino, assistente social a residir e a trabalhar na Covilhã, “desde que a Pandemia foi declarada, mais concretamente desde que foi declarado estado de emergência, temos assistido a um boom de redes de solidariedade e de entreajuda. Esta prática tinha caído um pouco em desuso há alguns anos, salvo raras exceções. O mais próximo que a maior parte de nós ainda vai estando desta realidade, se é que tem essa hipótese, são as redes de vizinhança (falo exclusivamente das redes extra familiares). No entanto desde que foi declarado estado de emergência, que se assiste a um florescimento destas redes de suporte/apoio/entreajuda.” 

Rui Lino refere que este grupo “é composto por profissionais de várias áreas, que tentam prestar apoio a quem dele necessitar. É um gesto de altruísmo por parte de quem se dispõe a ajudar numa época em que faltam recursos. No entanto apesar da importância do surgimento destes grupos, é bom ter presente que estes só surgem porque foi identificado um problema para o qual não há resposta ou para o qual a resposta é insuficiente”.

Grupo de Facebook, aqui.

(Escrito por DG)

Deixe o seu comentário

Skip to content