Na próxima terça-feira pelas 21:30 decorre mais uma sessão do Ciclo de Debates “Ao Encontro” com interpretação em Língua Gestual Portuguesa., sob o tema “Soluções para o Interior”. Desta vez, terá transmissão em direto no Interior do Avesso e retransmissão no Facebook do esquerda.net e contará com a participação do arqueólogo Cláudio Torres, do linguista e investigador, Pedro Oliveira e da ativista social Carolina Gomes.

Para os organizadores, já há muito tempo que a dicotomia entre o Interior e o Litoral é debatida, e é também por isto que a plataforma Interior do Avesso existe. Na descrição do evento lançado no Facebook podem ler-se algumas questões colocadas que se pretendem ver respondidas no debate.  “Nesta altura excepcional de crise em que as diferenças e fragilidades se acentuam, o impacto da actual crise pandémica e social será igual por todo o território português? Estarão as regiões de baixa densidade condenadas à acentuação do seu envelhecimento e despovoamento, ou será possível responder a esta tendência e acabar com esta dissensão? Haverá soluções para estas terras ou estará o Interior condenado a desaguar na beira-mar?”

Tendo por base estas e outras questões desenrola-se mais uma sessão do Ciclo de debates “Ao Encontro”, moderado por Ana Carolina Gomes e com a participação de Cláudio Torres e Pedro Oliveira.

Notas biográficas dos oradores:

Cláudio Torres nasceu em Tondela há 81 anos. Escolheu Mértola para viver há cerca de 40 anos depois de uma inspiradora vida de resistência ao fascismo. Foi preso pela PIDE, protagonizou uma fuga ao regime Salazarista numa pequena embarcação de recreio e esteve na clandestinidade. O 25 de Abril de 1974 permitiu regressar a Portugal onde exerceu funções de Professor assistente na Faculdade de Letras de Lisboa entre 1974 e 1986. Em Mértola é um dos principais protagonistas dum enorme projecto cultural de desenvolvimento do interior, do território outrora abandonado, sendo Presidente do Campo Arqueológico de Mértola, onde desenvolve uma vasta investigação relacionada com a História Medieval.
Licenciou-se em História de Arte pela Universidade de Bucareste em 1973 e é Doutor Honoris Causa pela Universidade de Évora.
Foi galardoado com o Prémio Pessoa em 1991 e com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique a 9 de Junho de 1993.


Pedro Oliveira nasceu em Lisboa há 37 anos. Escolheu Trás-os-Montes como a sua região, fortemente motivado pelas desigualdades territoriais e sociais. É mestre em linguística pela Universidade de Lisboa e está a desenvolver o seu plano de investigação no âmbito do doutoramento em linguística na Universidade de Santiago de Compostela. É Investigador Científico no Centro de Linguística da Universidade do Porto e do Instituto de Língua Galega, da Universidade de Santiago de Compostela. É Assistente Convidado na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança. Integra a equipa que está a desenvolver os conteúdos científicos para o Museu da Língua Portuguesa. Ativista na Catarse/Movimento Social, movimento que luta contra qualquer atentado à liberdade e dignidade Humana. Defende a literacia social e política. Colabora na plataforma Interior do Avesso, onde reflete sobre as desigualdades sociais, educativos e culturais a Nordeste de Portugal.

Ana Carolina Gomes nasceu em Coimbra há 30 anos. Cresceu em Coimbra, com fortes raízes familiares em Castelo de Paiva e no Porto. Escolheu residir em Viseu.
Desde cedo, manifestou interesse em áreas comumente assumidas como divergentes: literatura, ciência, arte, medicina, religião, filosofia, política. É procurando uma abordagem crítica e interdisciplinar do mundo e da humanidade que decidiu formar-se em Antropologia. É na mesma busca que atualmente “existe” em diversos desígnios e lutas.
Exerce a sua atividade profissional numa empresa de transporte coletivo de passageiros da região.
Milita no Bloco de Esquerda, onde integra a Comissão Coordenadora Distrital de Viseu e a Mesa Nacional.
É ativista social, através da Plataforma Já Marchavas e do respetivo Núcleo da Rede 8M.
Tem ainda abraçado diversos desafios, colaborando, por exemplo, com o projecto cultural Sementeira, a edição de Viseu do Desobedoc ou o portal de informação Interior do Avesso (equipa editorial).

Escrito por JL

Deixe o seu comentário

Skip to content