O Canil Intermunicipal do Douro Norte, sediado em Vila Real, tem sido alvo de críticas e denúncias ao longo dos últimos anos, sendo a mais recente e grave, a existência de um surto de esgana entre a população de animais existente no canil.

Esta estrutura é da responsabilidade da Associação de Municípios do Vale do Douro Norte que integra os concelhos de Vila Real, Alijó, Sabrosa, Murça, Santa Marta de Penaguião, Mesão Frio e Peso da Régua. Encontra-se de momento sem veterinário municipal, em situação de sobrelotação e falta de pessoal, problemas que segundo declarações de Carlos Silva, vereador da Câmara de Vila Real, à Universidade FM, estão identificados.

O Interior do Avesso tentou obter informações junto dos responsáveis do canil, o que não foi possível, mas de acordo com Sandra Carvalho, do Movimento Ajuda Animais de Vila Real, os animais que passam mais de uma semana nas instalações até serem entregues para adoção vêm com problemas de saúde, desde diarreias leves, até patologias mais graves como esgana.

Sandra Carvalho já foi buscar vários animais que depois de adotados acabam por falecer no espaço de uma semana. No momento já tem um teste que confirma a infeção por esgana, e irá realizar testes a mais animais que também apresentam sintomas. No decorrer do trabalho que tem vindo a desenvolver esta voluntária tem vindo a aperceber-se que os casos mais graves se verificam nos animais de porte pequeno a médio.

Os problemas do Canil Intermunicipal do Douro Norte têm-se vindo a agravar desde a implementação da Lei 27/2016, de 23 de Agosto, que proíbe o abate de animais como medida de controlo da população. Esta lei previa um período de dois anos às câmaras municipais para que as Câmaras Municipais prepararem esta mudança de paradigma na gestão dos animais errantes, e está em pleno vigor desde 23 de Setembro de 2018.

(Escrito por MFS)

Deixe o seu comentário

Skip to content