Há vários anos que se arrastam estes problemas e que têm vindo a ser realizadas denúncias junto das autoridades competentes, sendo que até hoje, nada foi feito para encontrar soluções. O principal problema parece estar, desde logo, na inoperância da ETAR das Fontainhas, na Freguesia de Santa Comba Dão e na ETAR dos Prados, na Freguesia de São João de Areias, que realizam descargas poluentes num curso de água que deságua diretamente no Rio Dão e na Ribeira dos Prados que atravessa a vila de São João de Areias até ao rio Mondego.

O rio Dão e o rio Mondego eram ecossistemas limpos e saudáveis de fauna e flora, realidade longe da que se pode encontrar agora.Os sucessivos executivos de Santa Comba Dão, mais especificamente o PSD e PS, não foram capazes até à data de encontrar um ponto de equilíbrio entre crescimento populacional e proteção ambiental. Se por um lado houve um substancial incremento do saneamento, absolutamente essencial para as populações, o resultado foi uma pressão crescente sobre os nossos cursos de água, rios e ribeiras que passaram a ser verdadeiros esgotos a céu aberto.

A ETAR das Fontainhas, localizada na zona sul da Freguesia da Santa Comba Dão, foi construída provisoriamente até ser efetivada uma ETAR maior e com suficiente capacidade para tratar os efluentes daquela zona da cidade de Santa Comba Dão, mas passados mais de dez anos o problema ainda não foi resolvido. Em relação à ETAR dos Prados, situada na zona da vila de São João de Areias que lhe dá esse nome, a ETAR foi construída sem o equipamento necessário tendo em falta dois motores que serviriam para ajudar a tratar os efluentes que chegam à ETAR e assim evitar que descarregue para a Ribeira sem qualquer tipo de tratamento. Em ambas as situações as autoridades competentes tardam em resolver o problema e evitar danos maiores relativos também à saúde pública da população, já que ambas as ribeiras atravessam terrenos agrícolas na sua maioria cultivados.

Em comunicado a Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda afirma ser esta uma situação completamente insustentável, não conseguindo aceitar como podem as autoridades competentes ainda não ter tomado medidas que resolvam este grave problema que, para além de abranger um grande percurso das ribeiras, afeta dois rios importantes para a região, prejudica insistentemente o dia a dia das pessoas que habitam ou têm produções agrícolas perto destas duas ETARs.

(Escrito por MFS)

Deixe o seu comentário

Skip to content