Foto por Vitor Oliveira | Flickr

No passado dia 27 de julho foi eleita a nova Comissão Coordenadora Distrital (CCD) de Castelo Branco do Bloco de Esquerda, encabeçada por Cristina Guedes do núcleo do Fundão e Edgar Reis do núcleo da Covilhã. A nova distrital assume o “compromisso com as cidadãs e os cidadãos de Castelo Branco na defesa dos interesses locais e numa política de esquerda progressista”.

Em comunicado, a CCD eleita afirma que “irá ter uma atuação de âmbito interno na promoção e valorização de cada núcleo apostando na proximidade de todas e todos”.

Intitulada “Por um distrito mais participativo”, a moção que sustentou esta candidatura foca a organização interna e a política distrital como os dois eixos fundamentais de atuação.

Relativamente à organização interna afirmam a adoção de “medidas de transparência entre a CCD e os núcleos concelhios na divulgação de informações, definição de atividades e envolvimento distrital. Privilegiando sempre a autonomia do trabalho de cada núcleo. Para além disto, a CCD quer promover a dinamização das sedes existentes no distrito, como a do Fundão, Covilhã e Castelo Branco.” Para além disto referem que darão continuidade a uma política de “Contas Certas” na gestão do património financeiro.

Afirmam ainda a vontade de iniciar atempadamente a “preparação das eleições autárquicas, apoiando os núcleos concelhios na definição de estratégias programáticas, bem como na definição de perfis para as candidaturas”.

Já no que respeita à política distrital, os dirigentes eleitos pretendem “promover a realização de um fórum autárquico, realizar iniciativas em conjunto com entidades da sociedade civil sobre temas como LGBTI, legalização da canábis, racismo, morte legalmente assistida, entre outras.”

Pretendem debater também a “descentralização existente, lutar pela abertura dos serviços públicos encerrados, defender a abolição total das portagens na A25 e A23, continuar com intervenções de requalificação da EN238 e finalização do IC6. Também desenvolver políticas de defesa ambiental local e de agricultura sustentável e familiar.”

Apresentam ainda como prioridades “a valorização do ensino superior no distrito e exigência da conclusão das obras da Linha da Beira Baixa.”

A lista é composta também por Sónia Reis (Fundão), Pedro Filipe (Fundão), Isabel Almeida (Covilhã), Carlos Motaco (Fundão) e Florinda Guedes (Castelo Branco). Os membros suplentes são Nuno Pinto (Covilhã), João Amoreira (Fundão), Cíntia Costa (Covilhã), Hélder Morais (Covilhã), Núria Guedes (Fundão) e António Fiúza (Fundão).

Deixe o seu comentário

Skip to content