Foto por ekaterinvor | Pixabay

Nos últimos seis anos anos, o eucalipto continuou a dominar amplamente o mapa das novas espécies arbóreas plantadas no país com 81.475 hectares plantados.

Entre outubro de 2013 e junho de 2020, autorizou-se a plantação de 81.475 hectares de eucaliptos em Portugal. No Centro foram 31.849 hectares, em Lisboa e Vale do Tejo 24.704 hectares, no Alentejo 13.233, no Algarve 6297 hectares e no Norte 5392 hectares.

Em segundo lugar, a muita distância, vem o pinheiro-manso com 5.931 hectares, o sobreiro com 4.810 hectares, o pinheiro-bravo com 2.671 hectares e as folhosas com 4358 hectares.

Os dados são do ICNF e foram compilados pelo jornal Público(link is external). A referência a 2013 é porque em outubro desse ano entrou em vigor um novo regime jurídico aplicável às ações de arborização e rearborização (RJAAR). Já aí se reconhecia o problema do monocultivo do eucalipto. Mas as autorizações continuaram. De tal forma que, entre essa data e maio de 2015, 80% das novas plantações e 94% das replantações que não recorreram a ajudas públicas foram de eucaliptos.

Mais recentemente, em 2019 e 2020, foram autorizados 2.801 hectares de eucaliptos. Segundo o ICNF, depois de janeiro de 2018, data em que entrou em vigor lei 77/2017, “não ocorreu autorização/validação de novas áreas de eucalipto” mas “87% da área dos pedidos de rearborização autorizados/validados correspondem a áreas com espécies do género Eucalyptus spp”. Esta lei introduziu uma moratória à plantação de novas áreas desta espécie arbórea.

 

Artigo publicado no esquerda.net

Deixe o seu comentário

Skip to content