Foto por Empregos Online | Facebook

A empresa de sistemas de escapes, a maior empregadora privada do distrito de Bragança, onde trabalham agregados familiares inteiros, vai dispensar até 70 trabalhadores.

Segundo notícia do Jornal de Notícias (JN), a ansiedade entre os trabalhadores da Faurecia – Sistemas de Escapes de Bragança é muita, perante o processo de rescisões contratuais em curso.

A informação prestada sobre o número de trabalhadores a ser dispensados é contraditória, o que contribui para causar ainda mais apreensão. Informaram os delegados sindicais que as rescisões seriam 50, mas ao presidente da Câmara de Bragança, Hernâni Dias, os responsáveis falaram de 70.

“Tivemos informação sobre 50 pessoas. Foi-nos dito que se não houver outra crise devido à pandemia, serão só esses. São funcionários do quadro. A fábrica já tem poucos temporários, porque foram dispensados no primeiro lay-off”, explicou ao JN Márcio Pinheiro, delegado sindical ligado à União de Sindicatos de Bragança.

Mesmo que se venha a confirmar a meia centena de rescisões, Márcio Pinheiro considera que o “impacto no concelho é considerável”, uma vez que existem famílias inteiras a trabalhar na fábrica, com cerca de 600 trabalhadores.

“Nós só vamos sabendo quem é despedido à medida que saem. A fábrica pediu 50 voluntários para acordos de rescisão, alguns perto da reforma ou com outras oportunidades querem sair, mas a maioria não quer. Esta semana saíram alguns, na próxima semana vão mais. O processo estará concluído até ao fim de maio”, acrescentou ao JN Márcio Pinheiro.

As consequências dos despedimentos já se fazem sentir na cidade. O dono da Drogaria Gomes confirma isso mesmo ao JN: “a pandemia teve impacto nas vendas, mas os despedimentos na Faurecia têm mais. As pessoas saíam e passavam por aqui e levavam dois ou três sacos de ração e outros produtos. É uma fatia de mercado que perdemos. Estamos a sentir bastante”.

Há ainda receio sobre o destino de mais de duas empresas ligadas ao ramo automóvel no concelho de Bragança, que produzem para a Faurecia. “Sei que têm baixado a produção”, salientou Maurício Pinheiro.

 

Faurecia de Bragança está a dispensar dezenas de trabalhadores dos quadros

Deixe o seu comentário

Skip to content