Foto por Autor Anónimo

Segundo o Jornal de Notícias, a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) proibiu vários pilotos de voarem. Em causa a falta de formação e treino necessários.

Este organismo “proibiu a empresa de utilizar alguns pilotos nas operações de emergência médica ou em alguns modelos específicos de aeronaves, enquanto a empresa não demonstrar que os pilotos cumpriram com o treino obrigatório ou recorrente necessário”, levando a que seja afectado o serviço do Helicóptero de Viseu e de Macedo de Cavaleiros em algumas horas por dia.

Estes pilotos são contratados pela Badcock, multinacional britânica que ganhou em 2018 o contrato para garantir a disponibilidades de helicópteros do INEM, com um valor de 38,7 milhões de euros e um período de 4 anos.

Segundo as notícias, os pilotos com o treino e formação devida não podem fazer mais horas de voo para além das já acumuladas.

Contrato já foi violado anteriormente por helicópteros antigos e com desempenho reduzido

Já em 2018 era notícia o não cumprimentos desta empresa das exigências do contrato com o estado, tendo apenas dois dos quatro helicópteros em funcionamento a cumprir os requisitos. 

À altura, o helicóptero de Évora teria 21 anos, um a mais desde a sua construção do que o contratualizado. O de Macedo de Cavaleiros seria de um modelo com um  “desempenho abaixo do exigido”.

 

(Escrito por CC)

Deixe o seu comentário

Skip to content