Fotografia por José Frade

Este espetáculo de Cláudia Gaiolas será realizado no Auditório Teatro das Beiras/Covilhã, no âmbito do Festival Y#17-festival de artes performativas, uma organização Quarta Parede, no próximo dia 25 de julho, às 11 horas.

Segundo nota de imprensa da Quarta Parede a que o Interior do Avesso teve acesso, este espetáculo “faz parte de uma série de espetáculos criados por Cláudia Gaiolas a partir da coleção “Antiprincesas”, sobre mulheres que marcaram a história. Clarice Lispector nasceu na Ucrânia, numa aldeia que não figura no mapa de tão pequena e insignificante. Os seus pais fugiram da guerra e foram parar ao Brasil, onde Clarice cresceu e se tornou uma grande escritora. Escrevia sobre os mistérios do universo e da alma humana, mas também sobre galinhas fugitivas, coelhos pensantes e um cachorro que comia cigarros.”

A direção e interpretação ficam a cargo de Cláudia Gaiolas, a Assistência de direção por Leonor Cabral e a dramaturgia por Alex Cassal. Já a cenografia e figurinos são dirigidos por Ângela Rocha, a Fotografia por José Frade, a Produção executiva por Armando Valente, com Coprodução por “Teatro Meia Volta e Depois à Esquerda Quando Eu Disser e São Luiz Teatro Municipal”.

A bilheteira está aberta de 2ª feira a 6ª feira das 09h30 às 13h00 e das 14h30 às 18h00 e nos dias de espetáculo 1 hora antes do mesmo começar. Os bilhetes podem também ser reservados através do telefone (275 336 163) ou e-mail (geral@teatrodasbeiras.pt).

Os bilhetes gerais têm um custo de 6 euros, sendo que para menores de 25 anos, maiores de 65 anos, estudantes, profissionais do espetáculo, trabalhadores ADC e sócios INATEL o preço é de 3 euros.

O programa pode ser consultado em www.quartaparedecovilha.wordpress.com

Deixe o seu comentário

Skip to content