Jóni Ledo volta a ser o cabeça de lista à Assembleia Municipal de Vila Flor, onde é deputado municipal desde 2009, momento em que o Bloco de Esquerda concorreu ao órgão pela primeira vez. Pretendem agora “ter mais força” para continuar a fazer a diferença.

Jóni Ledo tem 31 anos e é natural de Valtorno, no concelho de Vila Flor, onde estudou até concluir o ensino secundário. Licenciado em Psicologia e mestre em Psicologia da Educação pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, neste momento frequenta o 2.º ano da Licenciatura em Economia na mesma instituição. É ativista na Catarse | Movimento Social e cronista no Interior do Avesso. Atualmente é ainda dirigente distrital e nacional do Bloco de Esquerda.

Jóni Ledo

Em declarações ao Interior do Avesso, Jóni Ledo considera que “o Bloco de Esquerda tem feito a diferença na Assembleia Municipal desde que está representado, mudando significativamente a política vilaflorense. Pretendemos ter mais força, mais eleitos e eleitas, para que possamos continuar este trabalho.”

No último mandato, iniciado em 2017, o Bloco apresentou inúmeras propostas na Assembleia Municipal de Vila Flor, “algumas aprovadas como as propostas de recomendação à Câmara para que passasse a efetuar o transporte dos doentes oncológicos até ao IPO do Porto, bem como a outros institutos de oncologia ou a recomendação da criação de mecanismos de SOS para pedido de auxílio de idosos em caso de emergência.”

Jóni Ledo acrescenta que estas propostas, mesmo aprovadas, não têm caráter vinculativo por se tratarem de recomendações, “mas queremos acreditar que a Câmara Municipal estará aberta para a sua execução como o demonstrou na Assembleia Municipal.”

O Bloco propôs ainda o “fim do papel nas Assembleias”, com as convocatórias a passar a ser por e-mail, e foi o primeiro partido que defendeu “a transmissão das assembleias municipais por meio digital, o que parece que virá a ser uma realidade em breve.”

“Estivemos ao lado dos e das vilaflorenses aquando do encerramento da Estação dos CTT, numa solidariedade institucional com a Câmara Municipal na defesa do interesse coletivo. Outras oposições não seguiram na mesma direção, mas nós estamos cá para fazer política pela positiva, construtiva e de proposta para um concelho mais próspero e melhor para viver. Não contem connosco para a política do ‘bota abaixo’ nem para fazer oposição e prestação de contas apenas em período eleitoral”, rematou o candidato.

Em nota de imprensa, o Bloco de Esquerda sublinha que tem “sido uma oposição firme mas construtiva, discutindo todos os assuntos e trazendo novos assuntos para o debate, não virando a cara a nenhuma luta.”

O nome de Jóni Ledo para a Assembleia Municipal de Vila Flor nas Autárquicas de 2021 foi aprovado por unanimidade na Assembleia Concelhia de aderentes do Bloco de Esquerda em Vila Flor.

 

Marco Carrilho é o candidato do Bloco à Câmara Municipal de Vila Flor

Deixe o seu comentário

Skip to content