O Bloco de Esquerda concorre pela segunda vez à Câmara Municipal de Vila Flor, após se tornar em 2017 na terceira força política do concelho com um resultado expressivo. A aposta recaiu em Marco Carrilho, de 40 anos, Técnico de Emergência Pré-hospitalar (TEPH) no INEM.

Em declarações ao Interior do Avesso, Marco Carrilho refere que pretendem “fazer a diferença com propostas que visem uma governação para as pessoas deixando de lado uma política de fazer obra por obra”. Afirma ser necessário “dar condições para que as pessoas se fixem no concelho. É essencial dar também condições às empresas para estas se fixarem em Vila Flor e desta forma promover a criação de emprego.”

Considera também que “é essencial um apoio social próximo, principalmente numa altura destas em que fomos atingidos por uma pandemia que agravou as desigualdades sociais. Num concelho envelhecido é essencial cuidarmos dos mais idosos que em muitos casos se encontram isolados. Temos também que dar condições para que os mais novos que deixaram o nosso concelho tenham a possibilidade de regressar.”

Defende ainda que “Vila Flor tem que apostar na promoção do que tem de melhor, tanto a nível agrícola, pois temos produtos de excelência, como a nível turístico”.

Marco Paulo Carrilho Gomes, de 40 anos, é natural de Candoso, concelho de Vila Flor. Trabalha no INEM desde 2007, onde exerceu funções primeiramente de Tripulante de Ambulâncias em Emergência Médica, de Técnico de Emergência Médica e onde atualmente é Técnico de Emergência Pré-hospitalar (TEPH). Em 2017 foi o segundo candidato à Câmara Municipal de Vila Flor pelo Bloco de Esquerda e em 2019 fez parte das listas do Bloco à Assembleia da República pelo círculo eleitoral de Bragança.

Deixe o seu comentário

Skip to content