Lamego: discurso homofóbico de deputado municipal do PSD motiva carta aberta

Foto por Vitor Oliveira | Flickr
Carta Aberta à Assembleia Municipal de Lamego, enviada pelo Bloco de Esquerda, pede uma cidade inclusiva, depois de na última sessão ordinária o deputado Manuel Afonso, do PSD, ter tido um discursos discriminatório com base no sexo, género e orientação sexual.

A carta aberta foi remetida à AML (Assembleia Municipal de Lamego) pelos primeiros subscritores e encontra-se agora aberta a subscrições individuais e coletivas, que serão posteriormente encaminhadas antes da próxima sessão, informa o Bloco em nota de imprensa. As subscrições podem ser feitas através de formulário.

A situação em causa ocorreu no dia 26 de fevereiro, antes da Ordem do Dia. Na referida intervenção, como é público no vídeo da transmissão da Assembleia, o deputado Manuel Afonso, invocando o seu direito à liberdade de expressão, aclamou o trabalho desenvolvido por João Caupers, atual presidente do Tribunal Constitucional, normalizando os seus pontos de vista “tolos e ligeiros”.

Foi ainda referido o exemplo de alguns políticos que em tempos tornaram pública a sua orientação sexual. O deputado concluiu a intervenção declamando o poema “O Cerco” de Pedro Barroso onde se pôde ouvir o seguinte:

«Venho aqui pedir desculpa de não ser evoluído; apesar destas campanhas na rádio, na televisão, em toda a parte, insistindo na urgência do assunto… Eu não consigo gostar; – não consigo mesmo, pronto. Sei que pertence ser gay, toda a gente deve ser. Mas eu, lamentavelmente, não sou como toda a gente; É uma vergonha indecente; Gostar de mulher, ter filhos; Casar, afagar, perder-se; Com pessoa doutro sexo! Uma nojeira repelente; […] Ver uma mulher seduz-me; Faz-me vibrar, deslumbro. Vê-la falar, elegante; Vê-la deslizar, sensual; Como vestal, deslumbrante. Seu peito assim, saltitante […] »

Bloco de Esquerda repudia a situação

“Relativamente a este ‘Momento ZEN’, tomámos também nós a liberdade de manifestar o nosso profundo repúdio por esta lamentável situação de discriminação baseado no sexo, género e orientação sexual”, posiciona-se o Núcleo do Bloco de Esquerda do Douro Sul e a Comissão Coordenadora Distrital de Viseu.

A posição do partido, sem assento na AML, foi assumida através de carta aberta onde são apresentadas várias propostas para implementação de políticas públicas de inclusão e não-discriminação, no sentido de promover um maior apoio à comunidade LGBTI+ por parte do Município de Lamego:

  • A formação de técnicos especializados;

  • A criação de um gabinete multidisciplinar de apoio a vítimas de Violência LGBTI+;

  • A promoção de ações nas escolas contra o bullying homofóbico;

  • Adoção por parte do Município de políticas ativas de inclusão e não-discriminação;

  • Adoção de linguagem inclusiva do ponto de vista do género e da orientação sexual na comunicação do Município.

1 comment
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados
Skip to content