A Plataforma pela Reposição das Scuts esteve na passada terça-feira em frente à Secretaria de Estado para a Valorização do Interior, em Castelo Branco, para exigir o fim das portagens na A23 e A25.

A tribuna pública organizada pela Plataforma pela Reposição das Scuts decorreu no dia 17 de setembro e reuniu várias dezenas de pessoas em protesto pela abolição das portagens. As auto estradas A23 e A25 foram construídas com fundos europeus para promover o desenvolvimento da região e foram projetadas como vias sem custos para o utilizador.

Luís Garra, coordenador da União dos Sindicatos do distrito de Castelo Branco, disse em declarações à Rádio Cova da Beira que “se o governo, seja ele qual for que venha a sair das eleições, acha que o problema fica resolvido com as eleições, que se desengane. Nós ainda não adotámos medidas drásticas, mas sabemos adotá-las, e se nos obrigarem a ir para aí, vamos para aí” lamentando que no recente périplo de António Costa pelo Interior não tenha sido abordado este assunto. “Não podemos esquecer-nos que António Costa veio ao distrito, falou de muita coisa, mas não falou de portagens, o que indicia uma atitude de deitar para trás das costas este problema estrutural. E quando damos uma vista de olhos ao programa do PS, lá não há nada sobre portagens, o que configura que ele quer manter tudo como está.”

O Bloco de Esquerda marcou presença neste protesto tendo Rui Lino, candidato às Legislativas pelo distrito afirmado que “a manutenção das portagens é uma questão de opção política, até porque o tribunal já disse que o benefício da manutenção das portagens é superior ao custo, e neste caso a posição do Bloco será sempre ao lado das pessoas, pelo que continuará a lutar pela abolição das portagens.”

(Escrito por MFS)

Deixe o seu comentário

Skip to content