Foto por Mexer São João de Areias

O Movimento Mexer São João de Areias denuncia a aplicação de herbicida com glifosato junto de explorações agrícolas e pecuárias da vila de São João de Areias.

Em comunicado, o Movimento informa que “o glifosato é um herbicida sistémico de amplo espectro e dissecante de culturas”, alertam que “em Março de 2015, a Agência Internacional de Pesquisas em Cancro (IARC), da Organização Mundial da Saúde, classificou o glifosato como provavelmente cancerígeno em humanos com base em estudos epidemiológicos, estudos em animais e in vitro”. 

O local de aplicação foi muito próximo de explorações agrícolas e pecuárias, segundo o documento que o Interior do Avesso teve acesso “é muito perto de uma exploração agrícola na área das hortícolas e com certificação em produtos biológicos e a aplicação de herbicida pode colocar em causa a certificação, mas também é muito próxima de uma exploração pecuária de bovinos, onde os animais ficam lado a lado com as bermas onde o herbicida é aplicado”. 

Termina referindo que “sabemos das dificuldades financeiras que as Juntas de Freguesias sofrem, nomeadamente a Junta de Freguesia de São João de Areias e que as leva a fazerem tratamentos e aplicações mais baratas e rápidas, mas alertamos que existem zonas mais sensíveis onde a aplicação do herbicida não é de todo recomendável, pela proximidade a explorações agrícolas, pecuárias ou onde a presença humana e/ou animal e constante”. O Movimento Mexer São João de Areias sugere “que existem várias possibilidades para cortar as ervas daninhas das bermas, nomeadamente com trabalho mecânico (moto roçadora), vapor de água quente ou a aplicação de sal”. 

 

(Escrito por DG)

Deixe o seu comentário

Skip to content