Foto de Tobias Nordhausen | Flickr

Depois das autoridades da China terem banido as importações de ovelhas e produtos relacionados de Portugal por causa de um surto de paraplexia enzoótica em animais da Cova da Beira, no distrito de Castelo Branco, e em Mêda, no distrito da Guarda. O Ministério da Agricultura esclarece que Portugal não exporta pequeno ruminantes para a China. 

Em comunicado, o Ministério da Agricultura através da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária informa que “Portugal não exporta pequenos ruminantes para a China” e também confirmou a existência de dois casos de tremor epizoótico dos pequenos ruminantes (Scrapie) na Cova da Beira, no distrito de Castelo Branco, e em Mêda, no distrito da Guarda. 

A Lusa refere que a China decidiu banir as importações de ovelhas e produtos relacionados de Portugal, alegando um aviso da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) sobre um surto de paraplexia enzoótica dos ovinos na Guarda. Esta notícia foi confirmada pelo Global Times, jornal oficial do Partido Comunista Chinês, citando um comunicado da Administração das Alfândegas da China. O mesmo comunicado justifica a decisão com um aviso da OIE que refere um surto de 70 ovelhas no distrito da Guarda. 

O Ministério da Agricultura informa que o caso que apareceu na Cova da Beira “foi comunicado em dezembro de 2019 à OIE, e outro na Mêda foi comunicado este mês”. O Ministério ainda diz que “todo o efetivo coabitante, nos dois casos, foi eliminado (cerca de 70 animais em cada exploração)”. Mesmo assim, o Scrapie clássico detetados em Portugal são muito esporádicos e que está sob vigilância das autoridades há vários anos e não existem provas que seja transmissível para os seres humanos. 

Deixe o seu comentário

Skip to content