A deputada Maria Manuel Rola esteve em Santa Comba Dão, onde apresentou um projeto de resolução com propostas para a descontaminação e despoluição da sub-bacia hidrográfica do rio Dão, alvo frequente de descargas poluentes de ETAR, empresas e outras fontes.

As descargas e episódios de poluição na sub-bacia do Dão têm sido acompanhadas pelo Bloco, lembrou a deputada à Assembleia da República, dando exemplos. “Acompanhamos há já vários anos a questão em Dardavaz, temos também, ainda este mês, acompanhado várias denúncias feitas aqui no distrito e parece-nos que está na hora de tomar iniciativa relativamente à poluição que tem vindo a ocorrer.”

A poluição em causa tem várias origens, “tem a ver com as ETAR” e o tratamento do saneamento na região, “mas estamos a falar também de descargas industriais” e de “questões agrícolas”.

Todas estas fontes poluentes representam “um fator de pressão sobre os nossos cursos, sobre os nossos rios e aqui nesta zona temos um problema gravíssimo, que pode até levantar questões a nível da água para consumo”, alertou Maria Manuel Rola.

Neste sentido, a proposta do Bloco de Esquerda é que “quer os municípios, quer o governo central, atuem no sentido de garantir um plano integrado para a recuperação da sub-bacia hidrográfica”.

Para tal, será necessária a recuperação das ETAR, para que as emissões não ultrapassem os valores definidos pela Diretiva-Quadro da Água, fiscalização, sensibilização e que “os municípios atuem também relativamente às descargas que existem e que permitem a nível das indústrias e da agricultura.” Além disso, a deputada adiantou a proposta de que voltem a existir “vigilantes dos cursos e rios, guarda-rios como existia há vários anos atrás”.

Maria Manuel Rola lembrou ainda que o partido já levantou a problemática da poluição na sub-bacia do Dão a nível europeu, sublinhando “que está na hora, de facto, de haver uma atuação por parte dos municípios e do governo central”.

Deixe o seu comentário

Skip to content