Dezembro de 2020 | Foto de CESP - Portugal | Facebook

A CGTP refere que a empresa do setor das lojas de proximidade teve um aumento de vendas de 7,6% em 2020, enquanto os trabalhadores “deram a resposta necessária ao desafio imposto pela situação de saúde pública”. 

Em comunicado, a CGTP questiona: “Sabias que a Dia Portugal continuou a ser referência no sector das lojas de proximidade em Portugal e que apresentou uma subida nas vendas de 7,6% em 2020, apesar da pandemia?”.

O sindicato refere que “os trabalhadores da Dia Portugal deram a resposta necessária ao desafio imposto pela situação de saúde pública, vindo trabalhar todos os dias, correndo risco da própria vida e das suas famílias”. 

A organização critica que “desde o início do ano a grande maioria dos trabalhadores da Dia Portugal recebe o Salário Mínimo Nacional” e acrescenta que “há trabalhadores com carreiras entre os 10 e os 30 anos na empresa a receber o salário mínimo nacional ou entre 1 a 6 euros acima desse salário”. 

“Não aceitamos esta posição e, mais do que nunca, exigimos aumentos salariais dignos, que valorizem as profissões e as carreiras dos trabalhadores”, pode ler-se na nota. 

O caderno reivindicativo apresentado exige que o salário base de um operador especializado com mais de 10 anos de casa seja de 670€. 

A Dia Portugal é uma distribuidora internacional de alimentação e conta, em Portugal, com empresas como o Minipreço e a Clarel. 

Deixe o seu comentário

Skip to content