Foto por Município de Tarouca | Facebook

No Mosteiro de São João de Tarouca está o único órgão com maestro articulado da Península Ibérica. Agora vai ser recuperado, num investimento que representa 350 mil euros.

“É o único órgão que existe com o ‘maestro articulado’ na parte frontal para reger as pessoas no sentido de subirem ou descerem o tom, conforme os cânticos. Foi mandado construir pelo abade na altura, em 1767, e o construtor foi António Solha”, contou à Lusa o pároco de São João de Tarouca, José Ramos.

A recuperação torna-se possível agora, porque, “depois de anos e anos a tentar” candidaturas, nomeadamente junto da CCDR-N (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte), as mesmas “vinham sempre reprovadas”.

Sem ver as candidaturas aprovadas, a solução foi recorrer ao mecenato. Agora, com o apoio de três fundações, da Câmara Municipal de Tarouca e da Direção Regional de Cultura do Norte, a recuperação vai avançar.

José Ramos disse à agência Lusa que espera “poder inaugurar em 20 de agosto do próximo ano, Dia de São Bernardo, padroeiro da Ordem de Císter”, sob a qual foi construído o Mosteiro de São João de Tarouca.

“Ninguém sabe ao certo quando é que [o órgão] tocou pela última vez, mas pensamos que, com a expulsão das ordens religiosas, em 1834 ou 1836, o órgão [tenha sido] saqueado. E daí a [necessidade de] intervenção muito profunda”, contou ainda à Lusa.

Segundo o pároco “faltam muitos instrumentos, palhetas e tubos de som, ou seja, [o órgão] tem a caixa exterior, mas a máquina não existe”. Assim, o processo de restauro passa pela construção de uma nova “máquina”, idêntica à original, “e a caixa exterior será restaurada, tanto os dourados como os mármores”.

Deixe o seu comentário

Skip to content