Os trabalhadores das empresas de tratamento de resíduos Resinorte, Resiestrela e Valnor estarão em greve nos dias 28 e 29 de dezembro, por salários justos, carreiras dignas, pelo suplemento de risco e pela negociação de um Acordo Coletivo de Trabalho.

A Resinorte, a Resiestrela e a Valnor são empresas de recolha e tratamento de resíduos, da EGF (Environment Global Facilities) do grupo Mota-Engil. A Resinorte abrange 35 municípios da região Norte, a Resiestrela 14 concelhos dos distritos da Guarda e de Castelo Branco e a Valnor 25 Municípios do interior do centro, de Idanha-a-Nova e Castelo Branco, até Elvas.

Segundo o STAL (Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional, Empresas Públicas, Concessionárias e Afins), a paralisação ocorre por salários justos, carreiras dignas, pelo suplemento de risco, e ainda por um Acordo Colectivo de Trabalho (ACT) que valorize os trabalhadores.

Perante o agravamento dos problemas nos locais de trabalho, acompanhado da atitude de desrespeito pelas organizações sindicais e pelos trabalhadores, assim como pela recusa em negociar um ACT demonstrados pela EGF, os trabalhadores recorrem agora à greve para exigir respostas.

Pode ler-se no manifesto que convoca a greve que “o futuro não pode continuar a ser marcado por salários de miséria, pela precariedade, pela ausência de evolução profissional e por ritmos de trabalho infernais”.

As reivindicações da ação de luta são:

  • “Negociação de um ACT que uniformize as regras laborais para todos os trabalhadores do Grupo, que promova e garanta a valorização remuneratória, a dignificação profissional e a qualidade do serviço público prestado”;
  • “Aumento imediato dos salários, dos subsídios de refeição, de transporte e de outras prestações, que reponham o poder de compra perdido nos últimos anos”;
  • “Atribuição de um subsídio de risco extraordinário, no quadro do surto epidémico que atravessamos, e regulamentação de um suplemento de risco”;
  • “Valorização das carreiras profissionais, garantindo a progressão e a promoção”;
  • “Respeito pelas normas de saúde e segurança no trabalho”.

A Ersuc (Litoral Centro) e a Valoris (Alta Estremadura) também se unem ao protesto. Os trabalhadores destas cinco empresas estarão paralisados a partir das 00H00 desta segunda-feira, 28 de Dezembro, até às 24H00 de terça-feira, 29 de Dezembro.

Deixe o seu comentário

Skip to content