Foto de Rosino | Flickr

Os caretos de Podence foram declarados esta quinta-feira, em Bogotá, Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO. No nordeste transmontano chocalhou-se para festejar a distinção.

A aldeia de Podence no concelho de Macedo de Cavaleiros tem apenas 200 habitantes. São quem mantém viva a tradição de um Entrudo ancestral, feito de máscaras coloridas e de chocalhos.

Foi esta festa que foi distinguida esta quinta-feira pelo organismo das Nações Unidas para a Ciência, Cultura e Educação que reúne até sábado, em Bogotá, na Colômbia, na sua Assembleia Geral da Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial.

A candidatura das “Festas de Inverno Carnaval de Podence” foi distinguida pela UNESCO pelo seu carácter único e pela sua autenticidade. E, para festejar, os mascarados chocalharam em Trás-Os-Montes. À Lusa, Rui Carneiro, que costuma participar trajado no Entrudo de Podence, diz que o reconhecimento “é um orgulho”, considera que os caretos vão passar a “ter mais visibilidade pelo mundo, mas a responsabilidade é sempre a mesma que é vestir o fato e desempenhar bem a função”.

E a visibilidade já tinha números impressionantes antes da declaração da UNESCO: este anos foram cerca de 30 mil os turistas que assistiram aos festejos. Em 2020, entre 22 e 25 de fevereiro, esperam-se ainda mais. No seguimento da notoriedade está planeada a construção de um novo largo e de várias infraestruturas na aldeia, entre as quais o museu do careto, pelo arquiteto Souto de Moura.

E, contudo, esta tradição esteve quase a desaparecer. Até que na década de 1980 se meteu as mãos à obra e se reverteu o processo. Tempos houve em que se considerou demoníaca e o seu caráter sexualizado, já que os caretos eram tradicionalmente rapazes solteiros e as suas “vítimas” as raparigas, mereceu reparos dos mais conservadores. Mas o desfile persistiu até aos nossos dias. E, com esta decisão da UNESCO, estará para ficar.

A Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Bragança, em comunicado, transmitiu que “independentemente do resultado, a aprovação e avaliação positiva por parte da UNESCO da candidatura dos Caretos de Podence e o seu Entrudo Chocalheiro a Património Cultural Imaterial da Humanidade era já por si uma enorme vitória para Portugal e a Região de Trás-os-Montes e em particular para o concelho de Macedo de Cavaleiros e a aldeia de Podence.

Inevitavelmente, imperou o bom senso e, consequentemente, o reconhecimento de uma expressão e arte milenar como Património Mundial. Trata-se categoricamente de uma meritíssima recompensa pelo valor e identidade cultural destes actores no folclore e identidade da região e da sua importância para a partilha e firmação das tradições e do dinamismo do património cultural português. Assim como valoriza todo o trabalho feito por aqueles que até hoje mantêm viva e activa esta tradição.”

O Bloco de Esquerda de Bragança considera ainda que mesmo sabendo as dificuldades que a cultura atravessa em Portugal e o quão difícil é, muitas vezes, para os seus agentes conseguir subsistir e manter viva a chama. É também por isso que a C.C.D. de Bragança felicita todos quantos fazem parte da organização do Entrudo Chocalheiro e os Caretos de Podence e sua associação, assim como todos os que tornaram possível este reconhecimento internacional por parte da O.N.U. e a sua Organização para as Ciências, Educação e Cultura.

Deixe o seu comentário

Skip to content