Os atores Emanuel Santoz e Roberto Terra e o cineasta Tiago Resende apresentam a vídeo-performance nos dias 18 e 19 de Setembro na Mata do Fontelo, em Viseu. O mote é revelar um Fontelo que é muitas vezes invisível.

“Tive a sorte de, há um ano, conhecer o Sr Domingos. Percebi que era o principal cuidador da Mata do Fontelo e que talvez nem toda a gente que passa por cá saiba disso” afirma o ator e criador Emanuel Santoz, em comunicado onde conta como começou todo o processo.

A vida do Sr. Domingos, guardador e inquilino da Mata do Fontelo, profissão muitas vezes esquecida, acabou por ser a inspiração para um espetáculo que é, por um lado, uma homenagem, por outro, o reconhecimento de uma figura incógnita. 

Roberto Terra, ator e criador do espetáculo refere que “como qualquer processo criativo, começa com uma ideia. É importante deixarmos o processo em aberto para podermos descobrir mais coisas pelo caminho. Que coisas habitam esta terra?”.

“Estas terras estão tão cheias de coisas” é o resultado de visitas regulares, durante três meses, dos artistas à mata, muitas vezes apelidada de “pulmão da cidade de Viseu”.

“O Roberto e o Emanuel convidaram-me para esta viagem pela mata do Fontelo. Foram três meses de descobertas, de um Fontelo, por vezes, invisível. ‘Estas terras estão tão cheias de coisas’ que nem sempre valorizamos. Este trabalho permitiu-me assim ver o Fontelo como nunca antes o tinha visto”, conclui o realizador Tiago Resende.

A criação irá estar em cena, na Mata do Fontelo, nos dias 18 e 19 de Setembro, com 2 sessões por dia (21H00 e 21H40). A reserva de lugares é obrigatória e poderá fazê-lo através deste link.

O projeto conta com o apoio à produção da Criss Cross, e é financiado pelo programa Viseu Cultura+

 

Deixe o seu comentário

Skip to content