Foto de Interior do Avesso

A moção, apresentada pelo Bloco de Esquerda, recomenda, entre outras coisas, a criação da carreira e de um estatuto profissional. 

Na passada sexta-feira, data em que se realizou a última sessão deste mandato autárquico da Assembleia Municipal de Viseu, o Bloco de Esquerda apresentou uma moção de apoio à luta dos sapadores florestais. 

No documento pode ler-se que o “sapador florestal é um trabalhador especializado com perfil e formação específica adequados ao exercício das atividades de silvicultura e defesa da floresta”. 

O Bloco alerta que “atualmente um trabalhador com a função de sapador florestal aufere o salário mínimo nacional, o salário mais baixo de toda a organização de proteção civil”, acrescentando que “a luta desencadeada por estes trabalhadores é fundamental e o nosso apoio crucial para a valorização de todos os sapadores florestais, sobretudo daqueles que atuam no nosso concelho”. 

A moção aprovada recomenda ao governo “a criação da carreira e um estatuto profissional que dignifique o trabalho destes profissionais na prevenção e combate aos incêndios rurais e que sejam incluídos nas categorias  profissionais abrangidas por subsídio de risco”. 

Para além destas questões, a moção também reclama “a atribuição de equipamento de proteção individual” e insta o ICNF que fiscalize “no que toca a execução de planos de atividades das equipas e brigadas de sapadores florestais e a fiscalização no terreno para acabar com a utilização de sapadores florestais a exercer a atividade de cantoneiros em aglomerados rurais e urbanos”. 

Deixe o seu comentário

Skip to content