SNPC – Sindicato Nacional da Proteção Civil assinala o dia Nacional do Sapador Florestal sob o lema “Dignificar e  Valorizar o Trabalho e os Trabalhadores”. 22 de maio convocam plenário e a 24 de maio haverá treino operacional em Vila Nova de Paiva, no distrito de Viseu.

Segundo nota do SNPC, depois de em 1999 nascer o programa de Sapador Florestal do Instituto da  Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), passou-se a comemorar, a 21 de maio, o Dia Nacional do Sapador Florestal.

O Sindicato comemora a efeméride durante todo o mês de maio, com o lema “Dignificar e  Valorizar o Trabalho e os Trabalhadores”, associado à luta pela concretização da Carreira e do Estatuto Profissional.

O reconhecimento da profissão de Sapador Florestal, conforme tem vindo a ser reivindicado por este sindicato, implicaria o ajuste dos “salários ao trabalho executado durante todo o ano, seja em ações de silvicultura preventiva seja na prevenção e combate a incêndios rurais”, e a atribuição do “suplemento de penosidade e insalubridade como profissão de risco e de  desgaste rápido.”

No dia 22 de maio pelas 17h30 irá ocorrer um plenário nacional, em formato digital, onde irão ser ouvidos “os  anseios e propostas dos trabalhadores/as que visem a melhoria das suas  condições de trabalho.”

Ainda este mês, no dia 24, será realizado “um treino operacional com vista a uma maior cooperação entre instituições e uniformização da linguagem aplicada num Teatro de Operações, para que a segurança de todos os envolvidos esteja sempre assegurada”. A iniciativa, em Vila Nova de Paiva, conta com o apoio da Câmara Municipal e dos Bombeiros Voluntários locais.

COMEMORAÇÕES DIA NACIONAL DO SAPADOR FLORESTAL (2)

O SNPC, na nota que recebemos, informa ainda que “está a preparar um conjunto de perguntas e ações parlamentares” para apresentar na Assembleia da República, “que levem até ao Governo e a todos os Deputados/as, os problemas que afetam os Sapadores Florestais em Portugal e claro focando-nos na Carreira e Estatuto Profissional”.

Com estas ações, o sindicato procura que se faça “justiça a 22 anos de luta e resistência de  homens e mulheres que todos os dias de janeiro a dezembro, vestem e dignificam a farda de Sapador Florestal.”

 

Sindicato defende que apostar na floresta é também apostar nos seus trabalhadores

Catarina Martins esteve esta manhã num plenário de Trabalhadores da Conservação da Natureza e das Florestas

Deixe o seu comentário

Skip to content