O deputado José Maria Cardoso, do Bloco de Esquerda, considera que a população do interior não precisa de “clichés”, mas de ações concretas, e desafiou a Ministra da Coesão Territorial a criar um Programa de Reabertura de Serviços Públicos.

José Maria Cardoso desafiou a Ministra Ana Abrunhosa a criar um Programa de Reabertura de Serviços Públicos que foram retirados em muitos dos territórios do interior. Uma reabertura “prioritária” que devolveria a segurança e dignidade a que têm direito estas populações, constituindo ainda um atrativo de fixação, nomeadamente para as gerações mais jovens.

“Há muito que a expressão coesão territorial está gasta por falta de aplicação”, assim, José Maria Cardoso defendeu políticas inovadoras que rompam com o estabelecido e que sejam capazes de criar níveis de qualidade de vida estruturalmente atrativos para a fixação das pessoas dizendo que “não é com medidas pontuais e isoladas, muitas vezes pelo desespero dos municípios, que conseguimos essa atratividade”.

O deputado confrontou também a Ministra com as baixas taxas de execução em fundos tão significativos como o Fundo Social Europeu (FSE) e recomendou ao governo a adoção de uma atitude humilde, esperando ter aprendido com os erros do passado.

Para o deputado, a pandemia trouxe-nos situações e problemas novos, como “a falta de um poder supramunicipal, que de maneira alguma pode ser atribuído às CCDRs, muito menos com a explicação da eleição dos seus presidentes. Falta um verdadeiro poder intermédio capaz de ter uma visão subnacional e supramunicipal”.

Nesse sentido, perguntou a Ana Abrunhosa “se não é necessário um plano estratégico nacional capaz de atender à especificidade de cada região, concelho, local, mas simultaneamente entender o país como um todo. Lembrando que a discussão também não se pode “cingir à dicotomia interior/ litoral”, pois “há interiores com características específicas que devem ser tratados de forma diferente”.

Deixe o seu comentário

Skip to content