Foto retirada do banco de imagens Phxere

A Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda recebeu algumas informações relativas ao funcionamento do Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, localizado em Abraveses, deslocado de todos os outros serviços. Alguns problemas são “o aparecimento de pragas (ratos, baratas e formigas)” e o mau estado do edifício. O Bloco reivindica ainda a urgência do investimento na nova ala de Psiquiatria, já que “tem sido uma promessa constante ao longo dos anos”.

A organização distrital do Bloco de Esquerda decidiu avançar com um pedido de esclarecimento à Direcção do Centro Hospitalar Tondela-Viseu motivado por várias denúncias recebidas. 

Algumas denúncias são para alertar pelo estado do edifício, localizado em Abraveses, que segundo os bloquistas “é um edifício muito antigo e as intervenções até agora levadas a cabo apenas têm servido para remediar pequenas situações pontuais”, para além disto “o edifício concentra todo o tipo de equipamentos e/ou materiais fora de serviço, que sendo aqui depositados, contribuem para o aparecimento de pragas”.

 

O Bloco de Esquerda relembra que “a construção da ala de Psiquiatria do Hospital de São Teotónio tem sido uma promessa constante ao longo dos anos, praticamente desde a apresentação do projecto inicial”. 

Na informação que o Interior do Avesso teve acesso, a Distrital do partido afirma que “o Centro Hospitalar se prepara para investir novamente no atual edifício onde funciona a Psiquiatria, contrariando assim o anúncio feito anteriormente, relativamente à construção de uma nova ala de Psiquiatria”  junto ao hospital de São Teotónio.

 

Face a isto, o BE endereçou algumas questões à Direcção do Centro Hospitalar, nomeadamente se “tem o Conselho de Administração conhecimento das condições de funcionamento dos Serviços de Psiquiatria de Viseu” e se existe data para o início das obras de construção da prometida ala. 

Terminam lançando um desafio ao Conselho de Administração do Centro Hospitalar exigindo que se honre a palavra dada e que se proceda à resolução deste problema “por forma a dar condições dignas aos utentes e aos profissionais de saúde que diariamente ali trabalham”.

 

Escrito por DG

Deixe o seu comentário

Skip to content