Apollo foi um cão resgatado em Belo Horizonte. As fotos dele apareceram no Facebook do responsável da RAV – Resgate Animal Viseu pedindo donativos para a associação viseense. A situação foi denunciada à Câmara Municipal de Viseu, que descartou o caso.

O Interior do Avesso recebeu uma denúncia anónima no seguimento da reportagem 7 VIDAS: As misteriosas políticas de bem-estar animal do concelho de Viseu, que dá conta que o presidente da RAV, Emanuel Dutra, publica fotos de animais que na verdade não resgatou, para pedir donativos.

O primeiro caso que chamou a atenção da fonte da denúncia foi de um gato, em que o responsável dava a entender que foi ele quem resgatou o animal. Porém, a denúncia reconheceu o animal de uma notícia de 27 de dezembro de 2019 no site da CNN.

Gato CNN

As dúvidas dissiparam-se com o caso do cão Apollo. As fotos que Emanuel Dutra publicou no dia 18 de outubro de 2020, de um cão em péssimas condições, a propósito das quais apela a donativos monetários para a RAV, são na realidade de um resgate que ocorreu abril em Belo Horizonte no Brasil, conforme se pode ainda verificar no Instagram da veterinária que acompanhou o seu processo de tratamento e no Instagram “Em memoria ao apollo”, que entretanto faleceu.

Confrontada com esta questão, a Câmara Municipal de Viseu remeteu a denúncia para a RAV, que respondeu justificando que a publicação foi feita “apenas porque o próprio gostou do trabalho que fizeram num grupo de resgate do Brasil e que se assemelha ao trabalho que a RAV realiza”.

Porém, o Interior do Avesso teve acesso a conversas cujas fontes pretendem manter o anonimato (por esse motivo não serão divulgadas na íntegra) que provam o contrário. Numa delas, o responsável da RAV afirma que o animal foi resgatado e esteve 4 meses em recuperação com ele antes de ser adotado, noutra que foi resgatado em julho.

Numa outra conversa com alguém que pretendia ajudar no caso, diz que o cão se chama Nero, que esteve em recuperação 4 meses, “4 meses a recuperar sim foi a maior conta que a RAV tem até ao momento”.

A publicação acabou por ser eliminada do perfil do responsável da RAV. Confrontado com o facto, respondeu “sim apaguei porque havia pessoas a roubar me as fotos e por em outras associações”.

As denúncias que recebemos partilham a preocupação de que esta situação possa não ser única, aumentada pelo facto de esta ser uma das instituições com que a Câmara Municipal de Viseu mantém protocolo com vista a assegurar o bem-estar animal no concelho.

Sabemos ainda que foram enviadas duas cartas para a Câmara Municipal, uma com a resposta já referida, a segunda sem qualquer resposta, com os mesmos dados a que o Interior do Avesso teve acesso.

A propósito da reportagem 7 VIDAS, o Interior do Avesso procurou conversar com a RAV, tendo sido negada a entrevista.

Deixe o seu comentário

Skip to content