Isabel Pires, deputada do Bloco, pediu uma alteração ao programa de descontos nas ex-SCUT. “Já que ninguém está satisfeito com a proposta”, nem a ministra, nem o PS, nem as populações. 

Decorreu hoje, dia 4 de outubro, a audição parlamentar à Ministra da Coesão Territorial no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2021. A deputada do Bloco de Esquerda, Isabel Pires, começou por dizer que “sobre o Ministério da Coesão Territorial tem havido um enorme fosso entre as intenções com que se criou este Ministério e a realidade”. 

Por isso, a deputada apresentou algumas questões à ministra Ana Abrunhosa, nomeadamente as relacionadas com a valorização do interior. Isabel Pires referiu que “têm sido sucessivamente apresentados programas, dados para a afixação de postos de trabalho no interior, promoção para novas áreas de negócio, mas temos visto pouca concretização”. 

Para o Bloco, estes programas só por si não respondem às necessidades das populações. A deputada afirmou que as medidas de criação de serviços públicos são “propostas que vemos ano após ano em todos os orçamentos e as regiões do interior continuam na prática sem ver grande concretização”. 

As portagens também foi outro dos temas abordados pela deputada Isabel Pires, “a senhora ministra diz que não está satisfeita com a proposta do próprio governo, o PS diz que a proposta é curta. A questão que coloca populações, movimentos, autarquias, associações já que ninguém está satisfeito com a proposta é se vai haver aqui uma alteração para podermos ir mais rapidamente ao encontro da reivindicação justa da abolição das portagens”. 

Por sua vez, a deputada do Bloco, Fabíola Cardoso, levantou a questão da passagem transfronteiriça de Cedilho. A deputada referiu que vê positivamente as propostas das ligações transfronteiriças, nomeadamente a construção do acesso de Cedilho e “esperamos que se concretize esta reivindicação das populações”. 

Deixe o seu comentário

Skip to content