Paços do Concelho de Carregal do Sal | Facebook - Câmara Municipal de Carregal do Sal

A Assembleia Municipal de Carregal do Sal, que reuniu no passado dia 20 de Dezembro, debateu o associativismo local. A proposta é a Carta do Associativismo e foi levada pelo eleito do Bloco de Esquerda naquele órgão.

O assunto foi proposto pelo Bloco de Esquerda no Período de Antes da Ordem do dia da sessão da Assembleia Municipal de Carregal do Sal realizada no dia 20 de Dezembro.

Segundo o eleito do Bloco, “as associações no nosso concelho são divididas, tal qual como nas divisões de futebol, em primeira divisão, segunda divisão e terceira divisão que a autarquia classifica em tipo A, tipo B e tipo C”, salienta também que “as associações do nosso concelho merecem ser tratadas todas com igual respeito e consideração, visto todas terem a mesma dignidade, não podendo ser, em caso algum, hierarquizadas e categorizadas deste modo.”

 

A argumentação do eleito do BE é com base em conteúdos científicos, já que os responsáveis por estudar o fenómeno associativo português dizem que estas entidades têm um valor intrínseco em si próprias, ou seja, pela sua própria existência, independente dos seus propósitos, contributos e acções. Não se devendo, em caso algum, as associações serem diferenciadas pelo tamanho, isto é, pelo número de elementos constitutivos, pela sua localização, pelas suas origens clubísticas, pelas suas capacidades financeiras ou pelos locais onde foram instituídas.

 

A proposta dos bloquistas passa por criar uma “Carta do Associativismo Local”, que se trata de um documento de diagnóstico e estratégia composto por diversas linhas estruturantes, como por exemplo: Caracterização das associações locais, os recursos existentes, as linhas estratégicas de actuação, o futuro do associativismo no concelho e as boas práticas do associativismo.

A Carta do Associativismo deve integrar um levantamento das associações do concelho, delineando, em conjunto com as associações, estratégias a serem instituídas. O documento poderá contemplar um conjunto de eixos, eventualmente trabalhados em grupos, constituídos por membros das diversas associações, de forma a que se possam traçar vários projectos para fortalecer a dinamização do associativismo local.

 

Esta proposta veio no seguimento do processo de atribuição de subsídios às associações onde a autarquia de Carregal do Sal divide as entidades em tipo A, tipo B e tipo C consoante a relevância municipal que representam.

 

Na própria sessão da Assembleia Municipal, a Câmara Municipal através do Vice-presidente José Batista, afirmou em resposta ao eleito do Bloco de Esquerda que nunca existiu um Executivo que tratasse tão bem as associações do concelho, como é exemplo, o aumento considerável de subsídios distribuídos e informou que o diagnóstico às associações é feito todos os anos, tanto com a apresentação das actividades feitas como um plano das actividades futuras.

 

Escrito por DG

Deixe o seu comentário

Skip to content