O Ministério da Saúde é questionado sobre o encerramento da lavandaria hospitalar da SUCH (Serviço de Utilização Comum dos Hospitais) da Zona Industrial do Fundão (Distrito de Castelo Branco) que pode causar o despedimento de 25 trabalhadoras.

A lavandaria em causa serve os hospitais da Covilhã, do Fundão e de Castelo Branco e, segundo a pergunta, as informações conhecidas indicam que possui um volume de trabalho que garante a continuidade da unidade. Ainda assim, “terão sido dadas indicações às trabalhadoras para que as máquinas fossem paradas e um grupo foi mesmo dispensado de se apresentar ao trabalho na segunda-feira. Alegadamente parte do serviço terá começado a ser encaminhado para a estrutura do SUCH em Vialonga, Vila Franca de Xira.”

Perante o exposto, o Bloco considera incompreensível como “em plena pandemia, e a servir três unidades hospitalares, este serviço é abruptamente interrompido e se redireciona o trabalho para uma unidade localizada a mais de 232 km. Acresce a tudo isto que com a retoma do normal funcionamento dos hospitais, faz ainda menos sentido o encerramento deste serviço.”

O SUCH é tutelado pelo Ministério da Saúde e é nesse sentido que lhe são solicitados esclarecimentos sobre se está inteirado da situação, se a tutela estará disposta a “interceder junto do SUCH de forma a perceber o que motivou este encerramento” e se está o Governo disposto a proibi-lo, salvaguardando o emprego destas profissionais, “que estiveram também na linha da frente durante o período mais crítico da epidemia”, sendo “inaceitável que se atirem para o desemprego quem serviu, e serve, o Serviço Nacional de Saúde.”

Deixe o seu comentário

Skip to content