Foto por Interior do Avesso

Em conferência de imprensa, o Bloco de Esquerda Vila Real anunciou as propostas de alteração aos transportes públicos urbanos no sentido de melhorar a sua eficácia. As propostas visam quatro premissas essenciais: Gestão Pública do transporte, aumento das rotas e linhas existentes, a substituição gradual da frota por viaturas não poluentes e tender para a gratuitidade.

A “alteração do paradigma da mobilidade na cidade”, preconizada pelo executivo municipal, ancorada nas obras do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Vila Real – PEDU -, são de tal forma estruturantes que carecem de medidas concretas que permitam alcançar os objetivos traçados, minimizando os impactos negativos inerentes e mudanças profundas na rotina dos Vila-realenses. Esta alteração é vista pelo executivo como “uma oportunidade de todos poderem alterar alguns hábitos, mais próximos dos novos conceitos de sociedade que se pretendem mais amigas do ambiente”.

“Dada a importância do desenvolvimento urbano, acompanhado com a necessidade de transformar as cidades em estruturas ecológicas, torna-se imperativo uma abordagem holística que abarque a universalização do acesso aos transportes públicos, mas também questões ambientais e energéticas. É necessário redefinir a mobilidade. Vila Real é hoje uma cidade que tem de responder às necessidades dos cidadãos e das empresas. O executivo municipal tem de firmar um compromisso para com os cidadãos e para com os utilizadores dos transportes públicos. Estes exigem, hoje e mais que nunca, transportes verdes, seguros, sustentáveis e universais.”

O Bloco de Esquerda entende que esta alteração de hábitos por parte da população terá de vir acompanhada com uma alteração de práticas por parte do executivo no que concerne ao paradigma da mobilidade e da sua importância para o desenvolvimento socioeconómico da cidade de Vila Real. Mudanças drásticas, ainda que justificadas pela necessidade premente de descarbonizar, requerem respostas válidas que possam contribuir para a execução das metas previstas.

Para os bloquistas “é a hora de olhar para os transportes urbanos como ferramenta fundamental para alteração de hábitos de mobilidade em Vila Real que, como sabemos, ainda está assente no paradigma do transporte individual com recurso a veículos próprios.” Neste sentido apresentaram nesta conferência de imprensa uma série de medidas para melhorar o funcionamento dos transportes, bem como a aposta no transporte coletivo em detrimento do individual.

Alicerçados em exemplos como os de Talin, Estónia; Niort; França; defendem que os transportes públicos em Vila Real devem tender para a gratuitidade. Consideram que os exemplos citados poderá reduzir o número de carros nas estradas contribuindo para uma mobilidade eficiente de pessoas e mercadorias pela cidade, reduzindo o tráfego rodoviário, a poluição e com o impacto ambiental bastante positivo;

Defendem ainda o aumento das rotas e linhas existentes, alargando a oferta para as freguesias rurais, a substituição gradual do material circulante para uma frota composta por viaturas não poluentes e a garantia de que o transporte seja prestado por uma empresa pública.

O BE considera “fundamental garantir o investimento neste desiderato, pois é fundamental que este serviço de mobilidade seja de gestão pública, que as acessibilidades estejam asseguradas, veículos de emissões reduzidas, cobertura geográfica de todo o município, uma cobertura diária dos transportes públicos nos seus diferentes horários, incluindo redes noturnas, especialmente na área metropolitano e uma rede de acesso escolar. É necessário redefinir a mobilidade.”

 

Escrito por JL

Deixe o seu comentário

Skip to content