Proposta para declarar Viseu Zona de Liberdade LGBTI+ aprovada por unanimidade na Assembleia Municipal

Sede Bloco de Viseu

No Dia do Orgulho, 28 de junho, foi aprovada por unanimidade na Assembleia Municipal de Viseu a moção apresentada pelo Bloco de Esquerda para declarar Viseu “Zona de Liberdade LGBTI+”.

A moção apresentada por Graça Marques Pinto, representante do Bloco de Esquerda, propõe:

  1. Saudar o Dia do Orgulho LGBTI+;
  2. Saudar todas as lutas de pessoas e organizações que se empenham no compromisso pela igualdade e contra a homofobia, transfobia e bifobia no Município;
  3. Saudar as associações / entidades que, no Município, contribuem todos os dias para a luta contra a discriminação em contexto de crise, tendo conseguido adaptar as suas intervenções de forma a manter e reforçar os apoios às comunidades, nomeadamente apoio à vítima, apoio psicológico e psiquiátrico e respostas de empregabilidade e acolhimento;
  4. Solicitar à Câmara Municipal que declare Viseu “Zona de Liberdade LGBTI+”.

Segundo comunicado do Bloco, “não basta declarar o concelho de Viseu uma ‘Zona de Liberdade LGBTI+’”. “Este é apenas o início do caminho para a construção de um concelho verdadeiramente livre para todas as pessoas. O próximo passo é a necessária e urgente criação de um Plano Municipal que desenhe políticas públicas promotoras dos direitos da comunidade LGBTI+”, defendem.

“É preciso muito mais vontade de dar visibilidade a esta e a outras lutas pelos Direitos Humanos”

Há poucos dias, o partido desafiou o município a hastear, no dia 28 de junho, a bandeira LGBTI+. “O Município respondeu com a colocação de uma tela na fachada do edifício da ação social, na Rua das Bocas, muito menos frequentada do que a Praça da República (Rossio) onde se localizam os paços do concelho.”

Neste seguimento, o Bloco destaca que “é preciso muito mais vontade de dar visibilidade a esta e a outras lutas pelos Direitos Humanos. Viseu só será a melhor cidade para se viver se escolher não ficar indiferente ao crescer do ódio, da discriminação e da segregação em relação às pessoas LGBTI+.”

“Para que as cores do Dia do Orgulho não ficassem apenas restringidas à tela num local ‘envergonhado’ escolhido pelo município”, o Bloco hasteou bandeiras LGBTI+ em todas as janelas da sua sede distrital, na Ruas das Ameias, em pleno Centro Histórico de Viseu à meia-noite do dia 28 de junho.

Assembleia de Freguesia de Viseu também aprovou saudação ao 28 de Junho

Também a Assembleia de Freguesia de Viseu, reunida no dia 22 de junho, aprovou uma saudação aos “28 de Junho – Dia do Orgulho LGBTIQ+”, com 7 votos a favor, 1 contra e 9 abstenções. 

“O mesmo órgão que em 2018 rejeitou uma saudação à 1.ª Marcha de Viseu Pelos Direitos LGBTI+, também apresentada pela representante do Bloco de Esquerda, Manuela Antunes, por em Viseu não existir homofobia”, lembra o Bloco.

Remata com o compromisso de continuar a “não se conformar e a dar voz às reivindicações da luta LGBTI+, na construção de um concelho sinónimo de liberdade para todas as pessoas, independente da sua orientação sexual e romântica ou expressão e identidade de género!”

 

 

Bloco de Esquerda desafia o município de Viseu a hastear a Bandeira LGBTI+

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados
Skip to content