O núcleo concelhio do Bloco de Esquerda em Vila Real reuniu esta quarta-feira com o Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos para discutir as condições de trabalho dos motoristas no concelho. Luís Santos do Bloco Vila Real refere que no ponto de vista do Bloco não deveria haver lugar à concessão e que o serviço deveria ser de gestão pública, defendendo, no entanto, que a haver uma nova concessão, os trabalhadores devem ser chamados à mesa de negociações.

A coordenadora nacional do STRUP, Anabela Carvalheira, mostra-se, por sua vez, preocupada com a perda de cerca de 50% do salário, por parte de alguns trabalhadores, visto que o salário base é baixo e que o acréscimo do salário era devido às horas suplementares que os trabalhadores davam antes da pandemia, o que faz com que estes sejam ainda mais afetados pelo lay off.

O Sindicato considera que municipalização dos transportes é melhor do que ser gerido por um privado, mas consideram que o melhor caminho é criar uma gestão pública e mais global dos transportes para que situações como as que vivemos agora não venha a acontecer no futuro.

Luís Santos do Bloco de Esquerda Vila Real refere a falta de condições de higiene e segurança a que estão sujeitos os trabalhadores dos Urbanos de Vila Real, isto porque, “foram distribuídas duas máscaras a cada trabalhador no início da pandemia e desde então são estes a adquiri-las”.

O dirigente refere também que a desinfeção deixa dúvidas, visto que os autocarros são apenas desinfetados de noite, alertando também para a falta de um borrifador quer à entrada quer à saída de passageiros, salientando que são medidas simples e que poderiam facilmente ser garantidas por uma questão de segurança.

Para Luís Santos, a posição da Câmara Municipal relativamente aos transportes não vai de encontro à ideia da “capital da biodiversidade”, porque “se queremos que as pessoas deixem gradualmente de usar o carro na cidade temos que lhes garantir as condições para o fazerem com transportes públicos de qualidade”.

Recordamos que em fevereiro deste ano o Bloco de Esquerda Vila Real propôs que os transportes no concelho fossem de gestão pública e que fossem aumentadas as rotas e linhas existentes. Defenderam também que houvesse a substituição gradual da frota por viaturas não poluentes, ao mesmo tempo que defenderam a tendência para a gratuitidade dos transportes.

Posteriormente o Bloco reuniu também com a AAUTAD onde foram apresentadas estas propostas e onde se discutiram os problemas que afetam a mobilidade dos estudantes.

Deixe o seu comentário

Skip to content