Foto de Pedro Silva Images | Facebook

O projecto de regadio no sul da Gardunha desenvolvido pelos Municípios do Fundão e de Castelo Branco que tem vindo a ser notícia deixa largas reservas aos núcleos do Bloco de Esquerda da região. A hipótese deste projeto ser alimentado pela água da Albufeira de Santa Águeda levanta dúvidas em relação a conservação dos valores ambientais e ecológicos, uma vez que “a Barragem nunca teve como objetivo alimentar o regadio.”

Os Núcleos do Fundão e de Castelo Branco do Bloco de Esquerda avançaram com pedidos de documentação às respectivas Câmaras com o objectivo de analisar o protocolo assinado entre os dois municípios, tal como a candidatura para o financiamento do projecto de regadio no sul da Gardunha. O projeto não mereceu discussão pública, e não é conhecida a localização exacta, mas sabe-se que será alimentado por três pontos de água: Serra da Gardunha, regadio da Cova da Beira e a Barragem da Marateca.

“Este projecto levanta-nos algumas preocupações, nomeadamente na Albufeira de Santa Águeda, porque a capacidade de armazenamento da albufeira é de 34,2 hectómetros cúbicos e o consumo anual de água do concelho de Castelo Branco é de 6,5 hectómetros cúbicos. O consumo anual previsto para o regadio é 8 hectómetros cúbicos.

Lamentamos que seja feito mais um ataque à Barragem da Marateca porque o ordenamento da zona procura conciliar a conservação dos valores ambientais e ecológicos, principalmente a preservação da qualidade da água.”

(Escrito por MFS)

Deixe o seu comentário

Skip to content