Cine Clube de Viseu encerra programação anual com Moretti, Tréfaut e Rohmer

Três filmes compõe o programa para dezembro do Cine Clube de Viseu 
tres-andares-2021-1
“Três Andares” (2021) de Nanni Moretti. Midas Filmes

O Cine Clube de Viseu (CCV) vai encerrar o ano de 2021 com duas estreias (Nanni Moretti e Sérgio Tréfaut) e um clássico (Éric Rohmer), sendo esta última uma sessão muito especial por ser no dia em que o cineclube celebra 66 anos de idade. O CCV foi fundado em 1955, sendo um dos mais antigos cineclubes em atividade em Portugal.

No dia 2 de dezembro será exibido o novo filme de Nanni Moretti, “Três Andares”, filme que teve ante-estreia em Portugal na sessão de abertura da 14.ª Festa do Cinema Italiano. Moretti regressa ao drama seis anos depois de “Minha Mãe” (2015) e três anos depois do documentário “Santiago, Itália” (2018). “Três Andares”, uma adaptação do romance homónimo do escritor israelita Eshkol Nevo“foi um dos filmes mais consensualmente aplaudidos do último festival de Cannes, onde Moretti regressou em competição com esta história de um prédio de Roma habitado por três famílias que, ao longo de dez anos, têm de lidar com situações dolorosas, difíceis e desconfortáveis. As escolhas que cada um faz vão determinar o curso da sua existência.”

No dia 9 de dezembro estreia “Paraíso”, novo filme do cineasta Sérgio Tréfaut que nasceu no Brasil e onde regressa quatro décadas depois para filmar este “retrato de um país que se apaga e uma homenagem à beleza de uma geração dizimada.”

“Filmado nos jardins do Palácio do Catete, no Rio, antiga sede do governo brasileiro e hoje Museu da República, onde todos os dias, ao cair da tarde, mulheres e homens quase centenários, pessoas anónimas e verdadeiras estrelas por quem o tempo não parecia ter passado, verdadeiros sobreviventes de um outro Brasil, como diz Tréfaut, se reúnem para cantar antigas canções de amor, o filme, as vidas e as canções dos seus intérpretes foram subitamente interrompidos pela pandemia. Alguns ainda cantam. Outros foram levados pelo vírus.”

O clássico deste programa de dezembro pertence ao cineasta francês Éric Rohmer e chama-se “O Joelho de Claire”. Rohmer foi uma das figuras da nouvelle vague francesa e este filme foi recentemente estreado nas salas de cinema nacionais em versão restaurada em 4K, pela Leopardo Filmes.

“Um filme veraneante e minimalista, com a paleta aconchegante de um quadro de Matisse, conta a história de um diplomata de 35 anos (Jean-Claude Brialy) que passa as suas últimas férias de solteiro nas margens do Lago de Annecy. Aí, reencontra Aurora, uma amiga que lhe apresenta Claire, uma jovem liceal de 16 anos.”

2 dezembro
TRÊS ANDARES
de Nanni Moretti, ITA, FRA, 2021, 119’

9 dezembro
PARAÍSO
de Sérgio Tréfaut, BR, FRA, PT, 2021, 84’

16 dezembro
O JOELHO DE CLAIRE
de Éric Rohmer, FRA, 1970, 105’

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados
Skip to content