Foto por 416NEWS | Facebook

Foi hoje votado por unanimidade em Reunião Plenária da Assembleia da República. Aristides de Sousa Mendes salvou milhares de vidas da violência do regime nazi.

Aristides de Sousa Mendes nasceu em Cabanas de Viriato a 19 de julho de 1885 e faleceu em Lisboa a 3 de abril de 1954. Desempenhava funções de cônsul em Bordéus quando se inicia a Segunda Guerra Mundial. Salazar ordenou aos cônsules portugueses que recusassem a emissão de vistos a estrangeiros com nacionalidade indefinida, apátridas e judeus. Aristides não cumpriu a ordem, concedendo vistos de entrada em Portugal a milhares de refugiados em fuga ao avanço nazi. No seu regresso a Portugal, Aristides será punido.

Conceder a Aristides de Sousa Mendes Honras do Panteão é reconhecer oficialmente uma referência e aprofundar a memória de alguém que pelos seus actos defendeu que todas as pessoas têm direito à vida e a um lugar onde se possam sentir protegidas.

O projeto de resolução apresentado por Joacine Katar Moreira foi aprovado por unanimidade pelos partidos presentes. Marcaram ainda presença na Assembleia da República os familiares de Aristides de Sousa Mendes.

A Casa do Passal, também denominada “Vila de São Cristóvão”, situada em Cabanas de Viriato (Carregal do Sal), onde nasceu e morou Aristides de Sousa Mendes, foi considerada património nacional de 2011. No entanto, continua à espera de obras de requalificação e musealização apesar da conclusão deste projeto ter estado prevista para 2018.

Deixe o seu comentário

Skip to content