Foto por Diego Garcia | Interior do Avesso

O Bloco de Esquerda visitou hoje um troço da EN238, estrada nacional afetada por desmoronamentos. A visita contou com a presença de Fabíola Cardoso, Deputada do Bloco na Assembleia da República e de dirigentes distritais do Bloco em Castelo Branco. O Bloco anunciou que avançará com pedidos de reunião às Câmaras da Sertã e Ferreira do Zêzere, à Junta de Freguesia de Cernache do Bonjardim, tal como a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, no sentido de unir esforços para ter uma posição conjunta sobre a necessária requalificação estruturante da estrada ao invés de remendos cirúrgicos.

A estrada Nacional 238 (EN238) é a principal ligação rodoviária entre os municípios da Sertã, Ferreira do Zêzere e Tomar. Esta ligação tem sido afetada por inúmeros desmoronamentos, já desde 2014, altura em que o troço entre Cernache do Bonjardim e Ferreira do Zêzere foi afetado pelo desmoronamento de uma barreira, o que provocou o fecho da estrada durante dois meses.

Foto por Diego Garcia | Interior do Avesso

Os autarcas também se têm manifestado nas Assembleia Municipais e CIM (Comunidade Intermunicipal) do Médio Tejo sobre a importância desta via, que consideram essencial para os seus municípios e que a população considera que a sua requalificação é essencial para o comércio local e turismo.

Estas incidências causam prejuízos avultados aos utilizadores, nomeadamente às pequenas e médias empresas locais que têm que circular por estradas alternativas, o que aumenta os custos e o tempo de transporte. Ainda no dia 8 de novembro, a queda de uma pedra provocou um acidente de um utente.

O Bloco de Esquerda já tinha questionado o Ministério das Infraestruturas e Habitação sobre os desmoronamentos e o perigo existente para a população, bem como se havia em marcha algum projeto de requalificação, no passado dia 23 de novembro. O Bloco considera que as obras de reparação que se têm feito servem para resolver casos pontuais, porque a via continua a não beneficiar de quaisquer alterações estruturais, mesmo que se fale de uma requalificação estrutural desde 2008. “A degradação de muros que, nalguns pontos, suportam a estrada, acentua-se. E mantem-se o mau estado de conservação do pavimento, num percurso repleto de curvas muito apertadas e muito perigosas.”

Escrito por JL

Deixe o seu comentário

Skip to content