Foto por DURA Automotive Systems, LLC. | Facebook

Segundo informação facultada à Comissão de Trabalhadores da Dura Automotive e ao Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Centro-Norte a Magna BÖCO GmbH, uma das principais clientes da Dura Automotive, detentora de mais de metade da ocupação da mão-de-obra, pretende retirar as suas encomendas e moldes até finais de agosto do corrente ano, em virtude da deslocação da produção para a Índia.
Na sequência desta notícia, que gerou forte inquietação junto dos trabalhadores, têm-se vindo a realizar plenários e ações de protesto, em frente à unidade fabril, na Guarda, que se dedica à produção de componentes para a indústria automóvel.
A DURA Automotive – Indústria de Componentes para Automóveis, Lda., instalada na freguesia de Vila Cortez do Mondego em 1994, no concelho da Guarda, sempre foi uma indústria impulsionadora de emprego no distrito, e conta neste momento com mais de uma centena e meia de trabalhadores, que temem agora que esta situação ponha em causa a manutenção da unidade fabril e a manutenção dos seus postos de trabalho.
Ao ter conhecimento desta preocupante situação o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda dirigiu uma pergunta ao Governo em que confronta a tutela com a urgência de garantir a manutenção da unidade fabril da empresa na Guarda.

(Escrito por MFS)

Deixe o seu comentário

Skip to content