A associação Guardiões da Serra da Estrela mostra preocupação pelas “consequências nefastas” caso as explorações mineiras na região avancem, nomeadamente nos concelhos da Covilhã, Fundão, Belmonte, Penamacor, Idanha-à-Nova e Oleiros. Depois, “restará o claro empobrecimento destes concelhos em termos dos patrimónios naturais e ambientais”.

Segundo a Rádio Cova da Beira, que cita um comunicado da associação ambientalista Guardiões da Serra da Estrela, no distrito de Castelo Branco foram efetuados pedidos de celebração de contratos de concessão de exploração mineira nos concelhos de Covilhã, Fundão, Belmonte, Penamacor, Idanha-à-Nova e Oleiros. 

Estas explorações, caso se venham a concretizar, “vão trazer impactos ao nível do abastecimento de água, da poluição do ar e da água, da destruição da flora e fauna existentes e da alteração irreversível da paisagem, factos estes muitas vezes intencionalmente desvalorizados ou omitidos”, refere a associação. 

Os ambientalistas informam que “os pedidos de licenciamento de a viabilizar serão na maioria dos casos, em mineração a céu aberto, que inevitavelmente terão associadas escombreiras de grandes dimensões e as infraestruturas e edifícios de apoio. Associados a esta problemática são inerentes os impactos sociais, pois estamos a falar da exploração de recursos finitos que não fixam habitantes nem promovem a empregabilidade a longo prazo”. 

Os Guardiões da Serra da Estrela afirmam que “restará o claro empobrecimento destes concelhos em termos dos patrimónios naturais e ambientais, da redução dos seus recursos hídricos, da destruição de alguns sectores da economia local, como os relacionados com o turismo da natureza, e será claramente colocado em causa o direito ao bem-estar das populações residentes”. 

Deixe o seu comentário

Skip to content