A deputada Beatriz Gomes Dias explica o que se pretende deste debate com Cyntia de Paula, presidente da Casa do Brasil de Lisboa, e Anabela Rodrigues, ativista da Solidariedade Imigrante. Transmissão em direto no facebook do Esquerda Net e do Interior do Avesso, a partir das 21h30, com intérprete de Língua Gestual Portuguesa.

Em declarações ao esquerda.net, a deputada Beatriz Gomes Dias explicou que esta conversa, com ativistas do movimento social de defesa dos direitos dos imigrantes, “pretende analisar os impactos sociais e económicos da pandemia que estamos a viver na população migrante”.

“Sabemos que muitos imigrantes se encontram numa situação de grande vulnerabilidade social e laboral. Muitas pessoas foram despedidas ou perderam as suas fontes de rendimento e as medidas implementadas pelo governo não são suficientes, não cobrem todas as situações, deixando muitas pessoas sem proteção social”, alertou a dirigente bloquista.

Beatriz Gomes Dias sinalizou que, por outro lado, “importa perceber como é que a situação legal das pessoas imigrantes em Portugal irá ser resolvida.

A deputada lembrou que o Governo emitiu um despacho que estabelece que todos os cidadãos estrangeiros com processos pendentes no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, à data da declaração do Estado de Emergência Nacional, ficam temporariamente com a sua situação regularizada.

Frisando que “esta medida é positiva, porque permite o acesso a todos os serviços públicos, designadamente ao Serviço Nacional de Saúde, à proteção social, entre outro”, a dirigente do Bloco apontou lacunas ao documento. Em causa está o facto de ele deixar “muita gente de fora, como é o caso das pessoas migrantes que ainda não tinham iniciado o seu processo de regularização no SEF e das que estão em situação trabalho informal”.

Os debates “Ao Encontro” realizam-se sempre às 21h30, às terças e sextas, em direto no facebook do Esquerda Net e do Interior do Avesso e contam com intérprete de Língua Gestual Portuguesa.

Deixe o seu comentário

Skip to content