CIM Viseu Dão Lafões afirma ter consultado mais duas empresas para testes da covid-19, antes do ajuste direto com o laboratório do ex-sócio de João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e do Desporto. Empresas garantem que não existiu nenhum contacto.

Segundo notícia do JN, a CIM Viseu Dão Lafões escolheu o laboratório ALS, com sede em Tondela, onde o responsável é João Cotta, antigo sócio de João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e do Desporto e atual coordenador regional do Centro para o combate à covid-19 para aplicar testes da covid-19 em IPSS do distrito. Ainda assim,a CIM afirma ter pedido orçamentos a mais duas empresas especializadas no assunto, mas ambos os laboratórios negam esse pedido. 

A polêmica surgiu depois do blogue Rua Direita Viseu ter divulgado um e-mail do presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, enviado à CIM onde teria sido abordado por João Paulo Rebelo para realizar uma parceria com a ALS com custos repartidos entre as autarquias e o Estado para fazer testes da covid-19.

Rogério Abrantes, presidente da CIM, referiu ao JN que os laboratórios foram consultados informalmente, nomeadamente o Germano de Sousa. Manuel Magalhães, diretor-geral deste laboratório, garantiu que nunca fui contactado pela CIM Viseu Dão Lafões. A Unilabs, o outro laboratório supostamente consultado também informou não ter havido nenhum contacto, “nem formal nem informal”. 

(Escrito por DG)

Deixe o seu comentário

Skip to content