12 anos após o encerramento, em 2009, o troço da Linha da Beira Baixa reabriu após obras de requalificação e eletrificação. Habitantes das duas cidades manifestaram satisfação com a reabertura. Por Esquerda.net

Segundo a RTP, habitantes da Guarda e da Covilhã mostraram-se satisfeitos com a reabertura do troço da Linha da Beira Baixa entre as duas cidades, neste domingo 12 anos após o encerramento, por considerarem que o transporte por comboio “tem potencial”.

O primeiro comboio a circular foi o regional 5681 (com categoria de Intercidades), que saiu da Covilhã às 6h08 e chegou à estação da Guarda pelas 6h54, com quatro passageiros. No sentido inverso, o comboio Intercidades 540, que saiu da estação da Guarda às 7h07, foi o primeiro a passar no sentido Guarda – Covilhã, com um total de 16 pessoas.

Antero Pires, um dos responsáveis pela página Facebook e `site` Linha da Beira Baixa(link is external), que fez a viagem inaugural entre a Covilhã e a Guarda, mostrou-se “muito contente” no momento da chegada à cidade mais alta do país pela reabertura da via, após “12 longos anos de espera”. Antero Pires considera que o comboio “tem potencial” desde Castelo Branco até à Guarda e espera que a oferta aumente, com “comboios diretos para Coimbra ou para o Porto”.

Samuel Inácio, que acompanhou Antero Pires, sugeriu que sejam criadas “mobilidades entre as estações e apeadeiros e os centros das vilas ou cidades e uma melhoria, talvez, no serviço regional, principalmente nos horários da manhã e do final do dia, para que as pessoas que circulam entre Guarda e Castelo Branco possam deslocar-se para o emprego, ou o que for, através de comboio”.

Segundo a CP, com a renovação deste troço da Linha da Beira Baixa, passa a existir uma “oferta integrada” dos serviços Intercidades e Regional das Linhas da Beira Baixa e Alta. A partir deste domingo, “passam a circular, diariamente, entre a Covilhã e a Guarda, oito comboios Intercidades (quatro por sentido) e mais quatro comboios Regionais (dois por sentido), que vão efetuar paragem em todas as localidades, situadas entre as duas cidades”.

Os comboios têm paragem em todas as estações e apeadeiros localizados no troço Covilhã – Guarda: Caria, Belmonte/Manteigas, Maçainhas, Benespera e Barracão/Sabugal. O preço aplicado nas viagens entre as duas cidades “é sempre de tarifa Regional, quer os clientes viajem em Serviço Intercidades ou Regional, medida que visa incentivar a mobilidade regional no novo percurso.

A Lusa refere que o investimento total no projeto de modernização deste troço foi de cerca de 77 milhões de euros, 52 milhões dos quais respeitantes à obra física, que permitiu reabrir o troço que estava fechado desde 2009. A obra integrou, entre outros trabalhos, a renovação integral de 36 dos 46 quilómetros do troço (dez já estavam intervencionados), bem como a reabilitação de seis pontes centenárias, a remodelação de estações e apeadeiros, drenagem e estabilização de taludes e a iluminação e automatização e supressão de passagens de nível.

 

Publicado por Esquerda.net a 2 de maio de 2021

 

12 anos depois, comboio entre Covilhã e Guarda regressa

Linha da Beira Baixa: Troço Guarda-Covilhã reabre este mês

Deixe o seu comentário

Skip to content