A Plataforma Já Marchavas convoca uma vigília em Viseu contra a violência racista e xenófoba, exigindo “justiça por Bruno Candé, mas também por todas as vidas retiradas pelo racismo que ainda existe”. O protesto ocorrerá sábado, dia 1, pelas 18:00 no Rossio.

No passado dia de 25 de julho, “o ator português Bruno Candé Marques foi assassinado, de forma premeditada, em plena luz do dia, com quatro tiros à queima-roupa, na principal rua de Moscavide”, pode ler-se na convocatória.

“Bruno foi morto por ser negro, foi morto por viver num país que reflecte institucional e estruturalmente uma matriz racista, num país que se recusa a enfrentar o seu passado e o seu presente racista, num país que tolera, relativiza e normaliza práticas racistas, num país em que muitas pessoas continuam desavergonhadamente a afirmar que racismo não existe, apesar dos episódios constantes que demonstram o contrário, apesar das agressões e das vidas perdidas pelo perpetuar do factual racismo, que muitas pessoas, de forma conivente, negam.”

É nesse sentido que a Plataforma Já Marchavas, enquanto movimento de cidadania e coletivos, unidos na defesa dos direitos Humanos, “não pode manter-se em silêncio face a atentados racistas. Não basta sermos contra o racismo, é preciso repudiar de forma clara e inequívoca a violência racista.”

A Já Marchavas avisa ainda que, tendo em conta a atual situação, disponibilizará desinfetante e solicita que “todas as pessoas se manifestem com respeito pelas normas prescritas pela DGS, nomeadamente cumprindo distância física referenciada pela organização e uso de máscara.”

Evento no Facebook

Deixe o seu comentário

Skip to content