Poluição voltou ao rio Tua

No passado domingo era bem visível a sujidade, muita espuma e uma mancha de óleo entre Latadas e Frechas. População aponta o dedo a uma fábrica de produção de óleos. 
Poluição no rio Tua – Foto de Rádio Terra Quente FM

No passado domingo era bem visível a sujidade, muita espuma e uma mancha de óleo entre Latadas e Frechas. População aponta o dedo a uma fábrica de produção de óleos. 

Os habitantes da aldeia de Frechas alertam que houve várias descargas durante a última semana no rio Tua, a última foi no passado fim de semana e deixou o rio com muita sujidade, espuma e manchas de óleo, de acordo com a rádio Brigantia.

A proprietária de um bar referiu que “desde a passada segunda-feira, já são três descargas que vêm para o rio. Já estou aqui há 15 anos e é sempre esta miséria, porque deita cheiro e fica tudo preto, com lamas e cheio de borras”. 

Outra habitante de Frechas disse que “já não tem conta as vezes que isto aconteceu. É um cheiro que nem sequer se pode parar aqui. Isto parece óleo que é da fábrica”. 

O proprietário da fábrica em questão, nas Latadas, declarou que não estava na região, mas que não tinha conhecimento da situação.

As entidades competentes estiveram no local, nomeadamente o SEPNA, que acabou por informar a Agência Portuguesa do Ambiente. Agora, vão-se recolher amostras da água para análise laboratorial. 

O histórico de poluição neste local é grave. No verão de 2017, foram encontrados milhares de peixes mortos no mesmo local, alegadamente provocados por uma descarga poluente. Em maio de 2018, também foi visível uma mancha negra na água.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts
Ler Mais

Teatro das Beiras recebe: “Ai o Medo que (Nós) Temos de Existir!”

Através da pela e num palco de teatro contam-se quinze anos de acontecimentos intensos que se seguiram à Revolução dos Cravos, desde os dias em que os portugueses descobriram o que era a liberdade e a democracia, às primeiras eleições livres, às conquistas de direitos de cidadania e de justiça social, ao acabar com a Guerra Colonial, lutando contra os golpes que os saudosos do Estado Novo iam perpetrando.
Skip to content