O Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) confirmou a tendência de crescimento da população de Abutre-preto (Aegypius monachus) no Parque Natural do Tejo Internacional (PNTI). A espécie tem a classificação de Criticamente em Perigo.

O estatuto de classificação de Criticamente em Perigo (CR) é fundamentado por uma população extremamente reduzida no território nacional. A espécie já chegou mesmo a ser considerada extinta como nidificante, no ano de 1973, tendo-se confirmado o seu regresso ao PNTI, como nidificante, em 2010, segundo a Rádio Cova da Beira (RCB).

O ICNF confirmou, nesta época reprodutora, a tendência de crescimento da população, tendo identificado 23 casais reprodutores, entre 24 casais. Registaram-se ainda 17 crias vivas, mais 6 crias mortas, uma das quais por derrocada.

De acordo com a RCB, neste momento, ICNF, Fundo Ambiental e POSEUR, estão a financiar vários projetos, num total de cerca de €45.000, que contemplam o restauro de habitats de nidificação com instalação de plataformas artificiais para ninhos existentes, a reabilitação e instalação de novos campos de alimentação e a colocação de marcas e emissores GPS-GSM para seguimento e monitorização dos juvenis nascidos.

Com um investimento de €98.200 do Fundo Ambiental, o projeto “Compatibilizar a Gestão Cinegética com a Conservação da Natureza no PNTI”, no âmbito do Projeto Piloto para a Gestão Colaborativa do PNTI, permitiu a criação do Sistema de Alimentação de Aves Necrófagas do Tejo Internacional (SAANTI), refere também a RCB.

De referir ainda o Projeto de Restauro e Prevenção Estrutural do PNTI, que conta com técnicos e Vigilantes da Natureza do ICNF, a equipa de Alfonso Godino e a equipa CNAF 36 PNTI.

O ICNF e a Quercus ACN organizam ainda a recolha de animais mortos em explorações pecuárias e de subprodutos da exploração cinegética, em colaboração com a OVIBEIRA e com entidades gestoras de zonas de caça. Trabalho que contempla a colocação de plataformas e de marcação de juvenis voadores, financiado pelo POSEUR.

De acordo com informação do ICNF, partilhada pela RCB, outras ações no âmbito do Plano Nacional para a Conservação das Aves Necrófagas, visam melhorar a produtividade da população de Abutre-preto e a fixação de novos casais nidificantes, através da mitigação dos efeitos da diminuição do alimento disponível (que resulta do abandono das práticas agropecuárias tradicionais) e da redução da mortalidade por envenenamento.

 

 

Dia Internacional dos Abutres celebrado este sábado para sensibilizar sobre a importância destas espécies e alertar para risco de extinção

Abutre-preto: grupo de pelo menos oito indivíduos desta espécie “Criticamente em Perigo” registado no PNDI onde só há dois casais reprodutores

Deixe o seu comentário

Skip to content