Foto por Autocarros do Grande Porto | Facebook

A população da União das freguesias de Boaldeia, Farminhão e Torredeita, no concelho de Viseu, está descontente com a oferta de transporte de passageiros, não ajustada às necessidades atuais.

Apesar do serviço pré-pandemia já ter sido reposto, após as restrições motivadas pelas pandemia, segundo apurou o Jornal do Centro, a população considera que a oferta não responde às suas necessidades, em particular dos estudantes que entretanto regressaram às aulas.

Os atuais percursos e horários, concessionados à União de Sátão & Aguiar da Beira, não vão de encontro às necessidades sentidas devido às alterações ocorridas nas escolas no novo ano letivo. As queixas falam ainda de autocarros sobrelotados.

O Jornal do Centro cita o exemplo da viagem realizada entre a localidade de Várzea de Torredeita e a Escola D. Duarte, a cerca de sete quilómetros. Esta viagem leva mais de uma hora a ser realizada.

Segundo o presidente da União de Freguesias, a Câmara Municipal de Viseu já está a par das queixas, apesar de o Jornal do Centro não o ter conseguido esclarecer com a autarquia. 

Já no regresso dos 11.º e 12.º anos às aulas do terceiro período, se verificaram episódios de sobrelotação nos transportes do concelho de Viseu. Na altura, o Bloco de Esquerda de Viseu dirigiu várias questões à Câmara Municipal de Viseu sobre a situação e sobre que medidas iria tomar, de forma a melhorar todo o sistema em respeito das medidas de contenção da propagação da covid-19, não tendo obtido qualquer resposta.

Deixe o seu comentário

Skip to content