Vai hoje a votos na Assembleia da República a proposta para o não pagamentos de compensações por falta de tráfego às concessionárias das PPP rodoviárias (como são as ex-SCUT).

Em documento a que o Interior do Avesso teve acesso, os deputados do Bloco de Esquerda pretendem aditar ao documento que “estabelece medidas excecionais e temporárias relativas à situação epidemiológica do novo Coronavírus – COVID 19”, o Decreto-Lei n.º 10-A/2020, de 13 de março, a cessação da ”obrigação do Estado relativa ao pagamento de compensações” “em matérias de Parcerias Público Privadas”.

Para o Bloco de Esquerda “não se pode aceitar que, no meio de uma crise epidémica, os concessionários privados venham pedir compensações ao Estado, após transferências de milhões todos os anos, e decorrente de uma recomendação essencial: fiquem em casa”.

“Estado não pode esbanjar milhões para compensar PPP rodoviárias”

Bloco de Esquerda já tinha entregue uma série de perguntas ao governo sobre este assunto, tendo a deputada Isabel Pires defendido que o modelo ruinoso das parcerias público-privadas [como são as ex-SCUT] não pode servir para as concessionárias, depois de anos e anos a lucrar milhões de euros do Estado, pedirem para serem compensadas por uma situação que decorre da recomendação da Direção Geral da Saúde no sentido de as pessoas ficarem em casa.

Deixe o seu comentário

Skip to content