Argentina, Brasil, Espanha, França ou EUA são alguns dos países de origem dos artistas visuais e sonoros que irão actuar na aldeia da Borralha no próximo sábado dia 31 de Agosto.

A antiga aldeia mineira da Borralha, no concelho de Montalegre, foi o local escolhido para o projeto Re_Emergir, um projecto de revitalização rural e arte participativa desenvolvido através de uma colaboração entre a organização espanhola Ecoopera e a portuguesa VIC // Aveiro Arts House, no contexto do programa europeu Tandem e com o apoio do Ecomuseu de Barroso.

Desenvolvido em conjunto com a comunidade local da Borralha, este projeto tem procurado revalorizar esta antiga aldeia mineira através da cultura contemporânea de cunho comunitário. Os conhecimentos em gestão cultural e comissariado artístico da VIC reúnem-se aqui aos conhecimentos sociológicos e à experiência em desenvolvimento territorial e trabalho com comunidades rurais da associação Ecoopera, para conceber um projecto de investigação-acção que parte da comunidade local para gerar uma programação artística internacional que visa integrar também os saberes locais.

A primeira fase do projeto aconteceu de 5 a 14 de julho passado, e procurou sobretudo uma aproximação à comunidade, gerando-se os primeiros contactos com a mesma através de metodologias como entrevistas, passeios emocionais e outras ações informais. Esta semana está a decorrer um programa de residências artísticas na aldeia, no contexto das quais se realizam oficinas em áreas como a música eletrónica, a animação, a rádio ou a ilustração, e que chegarão ao seu termo este sábado.

FARR(i)A é o nome do evento que servirá de celebração ao encerramento desta fase do projecto. O evento arranca às 17h30 do próximo sábado dia 31 de Agosto no Palco Fundição, com os concertos do norte-americano Trans Van Santos e da francesa MounQup. Segue-se um passeio guiado pela aldeia em direcção ao Palco Pensão onde, a partir das 21h00, poderemos contar com as projecções da espanhola AnaNan, da argentina Celestial Brizuela e da portuguesa V_de_Sotavento, acompanhadas pelos concertos do português O Lendário Homem do Trigo, do brasileiro O Gringo Sou Eu e da banda improvisada Zé & os Ovnis, fruto da colaboração de alguns dos artistas internacionais em residência com o músico local José Silva.

Este evento final não será o fim deste projeto já que para os seus organizadores um dos objetivos é que este funcione como um protótipo passível de ser replicado em territórios de tipologia semelhante, servindo assim como base para a criação de um guia de acesso livre e gratuito sobre o desenvolvimento de projetos culturais comunitários no meio rural.

(Escrito por MFS)

Deixe o seu comentário

Skip to content