A MORCUL – Associação Jovem de Mortágua promove este sábado mais um debate no seu ciclo “(De)bater na Quarentena”, desta vez dedicado às questões europeias.

“Propomos sair do âmbito local rumo a uma reflexão a nível superior, mais concretamente ao nível da União Europeia” lê-se na divulgação do evento que “apesar dos tempos de isolamento, devemos conhecer e não esquecer os espaços em que vivemos e dos quais somos partes integrantes” lançando duas perguntas “Qual o nosso papel? E dos que nos rodeiam?”.

Este debate será moderado por Daniela Martins e tem André Carvalho, Cristina Marques, Samuel Vilela e Rita Portugal como oradores convidados e começa às 21h30 deste sábado, 18 de abril, através da plataforma Jitsi Meet. Para participares entra em contacto com a organização no seu Facebook.

Notas biográficas dos participantes:

André Carvalho, mestrando em carreiras europeias no Sciences Po Bordeaux e em Estudos da Paz, Segurança e Desenvolvimento na Universidade de Coimbra. Foi membro do direção da Bringing Europeans Together Association e diretor geral do Model European Union Lisbon 2019, evento galardoado com o Prémio Carlos Magno para a Juventude. Recentemente estagiou na Direção-geral da Comunicação do Parlamento Europeu.

Cristiana Marques, de 26 anos, licenciada em Direito pela Universidade de Coimbra e Mestre em Democratização e Direitos Humanos no European Global Campus of Human Rights, fez a sua especialização em Narrativas Euroceticas e Democracias Iliberais, com foco no Sul da Europa. Trabalhou como Assistente Jurídica em Direito Internacional no Sul de Itália e embarcou numa experiência de campo no Kosovo para acompanhamento da missão de Estado de Direito da EULEX. Atualmente trabalha como estagiária no Parlamento Europeu, na divisão de Dialogo e Relações com Estados Membros, sendo também Embaixadora da República Portuguesa na World Prosperity Organisation, na defesa pelo empoderamento dos jovens europeus.

Samuel Vilela, 32 anos, licenciado e mestre em Relações Internacionais, especializado em Estudos Europeus. Atualmente trabalha como assistente parlamentar no Parlamento Europeu. Tem experiência profissional como auditor de qualidade e em gestão de projetos na área da economia circular e inovação social. Encontra-se a concluir um doutoramento na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.

Rita Portugal, 26 anos, natural de Mortágua, licenciada em Línguas e Relações Internacionais na Faculdade de Letras da Universidade do Porto e Mestre em Economia e Gestão Internacional pela Faculdade de Economia também da Universidade do Porto. Em 2015 trabalhou como professora de Inglês em São Paulo, Brasil, como parte de um negócio social (4YOU2), através da associação estudantil AIESEC. Adicionalmente, trabalhou em 2018 como Gestora de Projeto com a empresa portuguesa EDUdigital na cidade da Praia, em Cabo Verde, ao abrigo do programa Inov Contacto. Em 2016 ingressou na Associação Portuguesa do Parlamento Europeu dos Jovens, tendo participado em variados eventos dinamizados pela associação em vários países. Reside atualmente em Berlim, onde administra o departamento financeiro da Fundação Schwarzkopf – Europa Jovem, que tem como principal objetivo empoderar jovens europeus de todas as origens para que pratiquem ativamente a sua cidadania e contribuam para uma sociedade europeia mais democrática e plural.

Daniela Martins, 21 anos, está no 3 ano da licenciatura de Relações Internacionais no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Foi co-fundadora, co-coordenadora e atualmente colaboradora do Núcleo Académico para a Proteção Ambiental ISCSP-UL. Embaixadora do Festival Política 2020.

Deixe o seu comentário

Skip to content