A Assembleia Concelhia de aderentes do Bloco indicou por unanimidade a recandidatura de Rogério Martins à Assembleia Municipal de Macedo de Cavaleiros, decisão confirmada pela CCD de Bragança. Rogério Martins, que já foi Deputado Municipal entre 2009 e 2013, elenca a aposta no Ensino Superior, na agricultura e no emprego como essenciais para o progresso do concelho.

A aposta do Bloco para a Assembleia Municipal recai novamente em Rogério Paulo Esteves Martins, de 37 anos, natural de Macedo de Cavaleiros, onde reside. É licenciado em Línguas, Literaturas e Culturas, publicou poemas e artigos na extinta fanzine “NU” e em blogues, antes de editar em 2015 o livro-objecto “Poesia Com Pota”.  Considera-se um defensor acérrimo da regionalização. É atualmente dirigente Distrital do Bloco de Esquerda e cronista no Interior do Avesso.

Para o candidato a perda populacional do concelho é um dos maiores problemas, considerando que “Macedo não pode continuar a viver no fantasma do Piaget”, sendo “fundamental que a cidade sobreviva a essa premissa de que sem o Piaget não há futuro e que se encontrem soluções que não só fixem os nossos jovens na nossa terra, como atraiam pessoas de fora, tanto doutros pontos do distrito, como até do país.”

Rogério Martins afirmou ainda ao Interior do Avesso que a agricultura “está muito desaproveitada e até mesmo descaraterizada, é importante que se faça trabalho nesse sentido, para promover o potencial agrícola para o investimento externo, como dinamizar a produção interna, criando as condições essenciais e formando agentes responsáveis e conscientes do potencial agrícola da região e da sua própria capacidade de produção”.

Considera que com “uma zona industrial tão bem situada, Macedo tem de saber apostar na sua localização e estimular a indústria como meio de estabilizar e ajudar a crescer a cidade”, afirmando ainda que “é preciso aproximar o centro do concelho das suas aldeias, esta tem de deixar de ser uma promessa a cada quatro anos e passar a ser uma realidade”

Refere também que a eleição para a Assembleia Municipal de elementos da lista do Bloco de Esquerda, “não só trará mais democracia para um órgão que está agora limitado aos partidos do arco, como significa um compromisso com uma linha política ao serviço do concelho e de todos os seus munícipes, não para se servir destes, nem para servir interesses pessoais.” Rogério refere que “o Bloco já demonstrou durante o mandato 2009-2013 que a sua política tem sempre as pessoas e o desenvolvimento sustentado do município como foco.

O Bloco procura “a reeleição de um Deputado Municipal, acreditando que a sua voz é essencial neste órgão autárquico, em promoção da pluralidade democrática com vista à construção dum município inclusivo, progressista e com futuro na resposta a todas as suas necessidades.”

Deixe o seu comentário

Skip to content